domingo, 27 de novembro de 2016

PAIGC DECIDE NÃO INTEGRAR AO FUTURO GOVERNO

PAIGC terminou a reunião do Comité Central  no dia 26 de Novembro, com um posicionamento firme e determinados na seguinte resolução final:

  • Não integração do partido no futuro governo a ser formado sob a liderança do Umaro Sissoco
  • Retirar a confiança política ao  José Mário Vaz, que segundo a conclusão do partido, é  o principal promotor de toda a grave crise politica e que outrora beneficiou de apoio do partido na candidatura de à presidência da Guiné-Bissau e que hoje se transformou num determinado em prejudicar o PAIGC. 
  • Ainda de acordo com fontes partidárias, o PAIGC mandatou o presidente da Assembleia Nacional Popular, Cipriano Cassamá para intervir junto do mediador da CEDEAO, Presidente Alpha Condé, para esclarecer a figura escolhida ao cargo do primeiro-ministro e de encetar diligencias com vista ao cumprimento do acordo de Conakry tal como foi realmente acordado.
O encontro reuniu 212 membros do Comité Central, dos quais 201 expressaram com votos a favor, apenas 11 manifestaram contra, o que correspondeu 96.06% favorável e 04% contra a decisão do partido.

Para PAIGC o Governo em preparação resulta de uma decisão unilateral do Presidente guineense, José Mário Vaz, que propôs Sissoco Embaló para o liderar.

Isto acontece depois de, em Outubro, a classe política guineense ter chegado a um entendimento na capital da vizinha Guiné-Conacri para ser constituído um executivo de consenso, com todos os partidos representados no Parlamento e cujo líder seria uma figura de confiança do chefe do Estado.
O PAIGC diz que dos três nomes propostos por José Mário Vaz (Sissoco Embaló, Augusto Olivais e Aladje Fadiá) foi escolhido o de Augusto Olivais, militante do partido, no entanto, o comunicado final do encontro de Conacri não especifica o nome o que tem permitido que se façam diferentes interpretações.
Rispito.com, 27-11-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público