terça-feira, 21 de agosto de 2018

Governo procura financiamento para aumentar pista do aeroporto de Bissau

Image result for pista de aeroporto osvaldo vieiraImage result for pista de aeroporto osvaldo vieira
O projeto de renovação da pista existe, estamos à procura de  para a sua implementação", afirmou o ministro, durante uma conferência de imprensa para explicar o que o Ministério dos Transportes tem estado a fazer desde que tomou posse como ministro, há 90 dias.


Segundo o governante, o aeroporto está atualmente numa situação difícil, mas o executivo está empenhado para que seja de referência e atualmente já há propostas no Ministério das Finanças para a aquisição de novos equipamentos.

"Temos dificuldades na pista, na gestão aeroportuária e com os serviços direcionados a políticos e diplomatas", precisou.

Mamadu Serifo Jaquité disse que o projeto de renovação inclui também a construção de uma nova torre de controlo e outros edifícios técnicos, bem como um novo salão nobre.

"Há todo um programa de adequação que precisa de ser feito", disse.

O aeroporto internacional Osvaldo Vieira precisa também de uma série de certificações internacionais, que estão a impedir que a carga aérea seja levada para a Europa.

A carga aérea inclui, por exemplo, transporte de fruta, correio ou restos mortais.

"Está prevista no futuro a construção do terminal de carga. Todas as dificuldades que o país tem neste momento vão ser ultrapassadas. O transporte de carga é extremamente complicado. Há uma série de certificações que precisam de ser feitas e neste momento o aeroporto não está em condições de as fazer", explicou o conselheiro do ministro Marcelino Mendes Pereira.

Questionado sobre se a falta de determinadas certificações internacionais poderão pôr em causa o voo de companhias aéreas para o país, Marcelino Mendes Pereira explicou que há certas exigências que o país tem de cumprir e que a "Guiné-Bissau está atrasada em relação a algumas certificações".

A Guiné-Bissau, segundo o ministro dos Transportes, vai presidir no próximo ano à Agência para a Segurança da Navegação Aérea em África e Madagáscar (ASECNA), agência de controlo aéreo com sede em Dacar, Senegal.

"O aeroporto é o espelho de entrada e saída do país. Precisamos de trabalhar para melhorar o nosso aeroporto", concluiu o ministro.
Rispito.com/DN, 21-08-2018

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Guiné-Bissau procura financiamento para aumentar pista do aeroporto de Bissau

Image result for Mamadu Serifo Jaquité.O Governo da Guiné-Bissau está à procura de financiamento para aumentar a pista do aeroporto internacional de Bissau, disse hoje o ministro dos Transportes, Mamadu Serifo Jaquité.
"O projeto de renovação da pista existe, estamos à procura de fundos para a sua implementação", afirmou o ministro, durante uma conferência de imprensa para explicar o que o Ministério dos Transportes tem estado a fazer desde que tomou posse como ministro, há 90 dias.
Segundo o governante, o aeroporto está atualmente numa situação difícil, mas o executivo está empenhado para que seja de referência e atualmente já há propostas no Ministério das Finanças para a aquisição de novos equipamentos.
"Temos dificuldades na pista, na gestão aeroportuária e com os serviços direcionados a políticos e diplomatas", precisou.
Mamadu Serifo Jaquité disse que o projeto de renovação inclui também a construção de uma nova torre de controlo e outros edifícios técnicos, bem como um novo salão nobre.
"Há todo um programa de adequação que precisa de ser feito", disse.
O aeroporto internacional Osvaldo Vieira precisa também de uma série de certificações internacionais, que estão a impedir que a carga aérea seja levada para a Europa.
A carga aérea inclui, por exemplo, transporte de fruta, correio ou restos mortais.
"Está prevista no futuro a construção do terminal de carga. Todas as dificuldades que o país tem neste momento vão ser ultrapassadas. O transporte de carga é extremamente complicado. Há uma série de certificações que precisam de ser feitas e neste momento o aeroporto não está em condições de as fazer", explicou o conselheiro do ministro Marcelino Mendes Pereira.
Questionado sobre se a falta de determinadas certificações internacionais poderão pôr em causa o voo de companhias aéreas para o país, Marcelino Mendes Pereira explicou que há certas exigências que o país tem de cumprir e que a "Guiné-Bissau está atrasada em relação a algumas certificações".
A Guiné-Bissau, segundo o ministro dos Transportes, vai presidir no próximo ano à Agência para a Segurança da Navegação Aérea em África e Madagáscar (ASECNA), agência de controlo aéreo com sede em Dacar, Senegal.
"O aeroporto é o espelho de entrada e saída do país. Precisamos de trabalhar para melhorar o nosso aeroporto", concluiu o ministro.
Rispito.com/DN, 20-08-2018


Faleceu esta manhã na sua residência em Bissau António Inácio Gomes Correia - vulgo "TCHIM", 1º vice-presidente da ANP. 
Rispito.com reage com profundo pesar à toda a família, a direção do PAIGC, à Assembleia Nacional Popular e a toda classe politica guineense.
Que Deus o tenha.  


Crianças da Guiné têm segunda oportunidade chamada Netos de Bandim

Image result for netos de bandim guine bissauCriado há quase 18 anos, coordenado por Ector Diogenes Cassamá, o grupo de danças tradicionais guineense Netos de Bandim procura ajudar as crianças que vivem em situação de pobreza ou risco de exclusão social, dando-lhes a oportunidade de terminarem os estudos e terem um futuro melhor. Este verão atuaram em várias zonas de Portugal e, no próximo dia 24, regressam à Guiné-Bissau.

Carel Baptista era uma criança tímida mas que gostava muito de dançar. Um dia, estava numa das ruas do seu bairro em Bissau, o de Missira, quando viu atuar um grupo de dança com o nome de outro bairro vizinho, o de Bandim. Eram os Netos de Bandim, grupo de músicas e danças tradicionais guineense, fundado e coordenado por Ector Diogenes Cassamá há quase 18 anos com a ajuda da ONG Associação dos Amigos da Criança da Guiné-Bissau (AMIC).

"Eu já os conhecia, porque às quintas-feiras ouvia na rádio as peças que teatro que eles também fazem, via-os na televisão nas atuações que tinham pelo país, mas nunca os tinha visto dançar ao vivo, fiquei fascinado", conta ao DN o jovem de 19 anos, antes de um espetáculo que o grupo deu em Lisboa, este sábado à noite. "Fui pedir aos meus pais para me deixarem ir dançar com eles. Na altura não deixaram porque era pequeno. Para chegar ao bairro de Bandim tinha que atravessar três estradas", explica, sublinhando que, por não ter transporte, só mais tarde integrou o projeto.

Foi durante o desfile de Carnaval, momento alto do ano em Bissau, em que o grupo aumenta sempre, pois aos membros atuais que tem no momento, hoje em dia 120, juntam-se outros antigos. Em 18 anos passaram por lá 650 pessoas. "Deixei de ser tímido. Fiz muitas amizades. Estou no grupo desde 2011. Continuei sempre a estudar. Já fiz o 12.º ano". Atualmente a frequentar um curso de formação de professores de bioquímica na Escola Normal Superior Tchico-Té em Bissau, Carel diz que o que quer mesmo ser é médico. Quer ajudar as pessoas do seu país.

Filho único, algo invulgar no sítio de onde vem, este jovem guineense descreve-se acima de tudo como muito curioso. Graças aos Netos de Bandim fez um curso de informática e gestão de três meses, é escuteiro, foi voluntário da Cruz Vermelha, tem um curso de Saúde e Participação Comunitária e é agente de saúde comunitária no seu bairro, formado pela ONG portuguesa VIDA. Ajuda na triagem de crianças doentes entre os 0 e os cinco anos. Quando é preciso. É uma espécie de bombeiro voluntário disponível sempre que pode para responder a qualquer eventualidade.
Rispito.com/DN, 20-08-2018

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

China constrói  entre Bissau e Safim 15 km de autoestrada  

Image result for estrada Bissau/SafimAs obras de construção de uma auto-estrada na Guiné-Bissau, orçadas em 16,5 milhões de dólares com financiamento da República Popular da China, deverão iniciar-se brevemente, segundo um comunicado do Ministério das Obras Públicas, Construções e Urbanismo divulgado terça-feira em Bissau.

O documento refere que o titular da pasta, Óscar Barbosa e o embaixador da China no país, Jin Hongjun, mantiveram um encontro onde entre outros assuntos convergiram na necessidade de dar início aos trabalhos deste projecto que vai ligar Bissau à localidade de Safim, a cerca de 15 quilómetros de distância a norte da capital.

A nota adianta as duas partes falaram dos trabalhos preliminares que deverão ser feitos, nomeadamente a identificação das propriedades e residências que serão afectadas ao longo do troço e calcular o valor das respectivas indemnizações.

Os trabalhos serão levadas a cabo por empresas da China e contarão com a mão-de-obra local, diz o comunicado de imprensa que, no entanto, não precisou a data exacta do início dos trabalhos.

A auto-estrada em causa, “uma obra de engenharia moderna”, segundo o antigo embaixador da China na Guiné-Bissau, Wang Hua, terá três faixas de rodagem em cada um dos sentidos e iluminação própria. 
Rispito.com/Macauhub, 17-08-2018

Advogados pedem libertação de militares presos

mediaO prazo da acusação provisória e definitiva passaram e nós, advogados de defesa, entrámos com um pedido de 'habeas corpus', que foi congelado pelo tribunal e não foi enviado para o Supremo Tribunal de Justiça. Agora já passaram seis meses", disse o advogado Ricardino Nancassa, citado pela Agência de Notícias da Guiné-Bissau.

O advogado, que falava em conferência de imprensa, afirmou que, segundo a lei, uma vez ultrapassado o prazo de seis meses sem condenação em primeira instância, a pessoa detida tem de ser libertada, o que não aconteceu.

Ricardino Nancassa esclareceu também que o juiz de instrução criminal ouviu os detidos e revogou a prisão preventiva, mas os militares continuam detidos.

Em dezembro, a Liga Guineense dos Direitos Humanos alertou para a situação em que estavam detidos os militares suspeitos de tentar assassinar o chefe das Forças Armadas.

Os militares foram detidos em 16 de dezembro.
Rispito.com/DN, 17-08-2018

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Nigéria apoia legislativas na Guiné-Bissau com 300 'kits' eleitorais

Image result for eleicoes na guine bissauA Nigéria anunciou que vai apoiar o processo eleitoral na Guiné-Bissau com 300 'kits' para o recenseamento eleitoral, que devem chegar ao país na próxima semana.

anúncio foi feito pelo representante do embaixador da Nigéria na Guiné-Bissau, Anthony John Ebipador, depois de um encontro com o primeiro-ministro guineense, Aristides Gomes, em Bissau.

"Para começar, o Presidente (da Nigéria), Muhammadu Buhari, vai dispensar 300 'kits' para iniciar o processo eleitoral. Estamos otimistas que vão ser disponibilizados mais 'kits'", afirmou Anthony John Ebipador.

Segundo o representante do embaixador da Nigéria em Bissau, os 'kits' devem chegar à Guiné-Bissau no máximo na próxima semana.

"Estou aqui para demonstrar o interesse do Presidente da Nigéria em apoiar o processo eleitoral da Guiné-Bissau e vim concretamente anunciar a chegada dos 'kits' que a Guiné-Bissau pediu à Nigéria", salientou.

A Guiné-Bissau vai realizar eleições legislativas a 18 de novembro.

O recenseamento eleitoral começa a 23 de agosto e vai decorrer até 23 de setembro.

O primeiro-ministro guineense já tinha afirmado na semana passada que o recenseamento poderia começar a 23 de agosto devido à cooperação com a Nigéria e a uma cooperação suplementar com Timor-Leste.
Rispito.com/Agop, 16-08-2018

terça-feira, 14 de agosto de 2018

Militares da Guiné-Bissau preparam-se para operações de manutenção da paz no âmbito da ONU

Sessenta militares guineenses iniciaram hoje uma ação de capacitação para se prepararem para eventuais missões de manutenção da paz das Nações Unidas, recebendo treino ministrado pelo coronel brasileiro Costa Neto, afeto ao gabinete da ONU em Bissau.
Até sexta-feira, os militares guineenses vão receber informações sobre como funcionam as Nações Unidas, qual o papel dos soldados em missões de manutenção da paz, qual a conduta das chefias e dos subalternos e que bens merecem maior proteção em teatro de operações - neste caso, as crianças, as mulheres e os idosos, assinalou o coronel Neto.

Valendo-se da experiência do Brasil, Costa Neto indicou que vai aproveitar as sessões de capacitação para abordar também a problemática dos direitos humanos, entre outros temas.
Rispiro.com/Lusa, 14-08-2018

Governo e Sindicato de Jornalistas chegam a acordo

Image result for sindicato de jornalistas da guine bissau e governo assinam acordoDepois de quatro greves, Ministério da Comunicação Social e Sindicato de Jornalistas guineenses assinaram um memorando de entendimento para equipar os órgãos de comunicação social públicos de meios necessários.

O memorando de entendimento, a que a Lusa teve acesso, é composto por 19 pontos a serem cumpridos pelo Governo e incluem a compra de viaturas, grupos de geradores para os centros emissores de Nhacra e Catió e para a Rádio Nacional, bem como o pagamento e instalação de uma linha de internet na agência noticiosa guineense e na rádio nacional.


"Considerando a importância e a pertinência social que o setor da comunicação social reveste para a consolidação do processo democrático e o Estado de Direito, as partes concluíram que é fundamental dotar os órgãos de comunicação social públicos de meios necessários para poder fazer face às exigências e demandas social nos domínios da informação, formação e sensibilização, sendo o seu papel primário", refere o memorando de entendimento.

O Governo e o Sindicato de Jornalistas chegaram também a acordo sobre a forma de nomeação dos diretores dos órgãos de comunicação social, que vai passar a ser feito por concurso público e sobre a definição do estatuto de carreira de jornalista.

Outras reivindicações feitas pelo sindicato e que também constam do memorando é a de o Governo passar a adotar anualmente no Orçamento de Estado uma rubrica sobre a subvenção coletiva aos órgãos de comunicação social pelo serviço prestado e a criação de condições para a implementação de uma taxa de audiovisual aos consumidores.

Preparação para as eleições

"Conseguimos na realidade reter aquilo que é essencial para poder fazer face ao período que se avizinha que é o das eleições. Estaremos em condições de dignificar a classe para as eleições", afirmou o ministro da Comunicação Social guineense, Vítor Pereira, que destacou a importância do acordo alcançado.

A presidente do Sindicato de Jornalistas, Indira Correia Baldé, disse estar satisfeita com o acordo alcançado e que vai agora continuar a acompanhar a aplicação do memorando de entendimento.

"Toda a negociação é negociação. Nem tudo é fácil, nem tudo é difícil, dialogamos e conseguimos chegar ao que é mais importante e a um acordo", salientou.

Os jornalistas dos órgãos públicos guineenses realizaram quatro greves nos últimos dois meses, a última das quais a semana passada.
Rispito.com/DW, 14-08-2018
Liga Guineense dos Direitos Humanos completou ontem, dia 12 de agosto, 27 anos de existência.

Congratulo-me com a valiosa contribuição que a Liga tem dado à sociedade guineense desde a sua fundação.

Os inúmeros problemas, sacrifícios e dificuldades que os dirigentes e membros da Liga enfrentaram ao longo destes 27 anos, serviram apenas para fortalecer as convicções dos seus dirigentes e membros, da necessidade de lutarem pelo respeito dos direitos humanos.

As dificuldades, sacrifícios e muitas vezes riscos de vida e de integridade física, perda de liberdade, apenas serviram para fortalecer a convicção e a determinação dos dirigentes e membros da Liga.

Temos realmente muitos motivos para nos orgulharmos do trabalho realizado e dos grandes homens e mulheres que têm dirigido esta organização tão prestigiada e reconhecida no país e a nível internacional.

Como um dos membros fundadores da Liga, só tenho motivos para me orgulhar de ter a graça de Deus de ter sido o pioneiro deste grande projeto, da equipa e do trabalho que tive o privilégio de dirigir, do trabalho que tenho visto crescer e frutificar pelos que se seguiriam, como é o caso da atual direção da Liga liderado pelo Dr. Augusto Mário da Silva, e constituída essencialmente por jovens quadros dotados de muita competência e sobretudo com coragem e determinação.

A mesma intrepidez, ousadia e certeza das lutas que a Liga abraçou há 27 anos, tem caraterizado a forma como a atual direção abraça as lutas atuais, neste percurso difícil de trabalho na área de Direitos Humanos.

Então, tal como hoje, colhemos muitas rosas, mas que apesar da beleza e perfume, nunca deixam de ter espinhos.

Pergunto:Valeu a pena picar-nos nos espinhos? Valeu a pena ser preso humilhado, torturado, ameaçado? Valeu a pena ser perseguido?

Valeram a pena tantas outras situações de sofrimento, dor e angústia? Valeu a pena ser traído até por alguns colegas de trincheira?
Claro que sim, porque as rosas ainda perduram, e qual semente em boa terra plantada, tem-se multiplicado, permitindo-nos espelhar em cada uma das memórias de uma caminhada que, essa sim, mais do que tudo valeu a pena.

Parabéns a todos os membros da Liga Guineense dos Direitos Humanos.

Fernando Gomes
Fundador e 1º Presidente da
Liga Guineense dos Direitos Humanos

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

Petróleo negociado com o Senegal é guineense

O antigo chefe da diplomacia guineense João Monteiro defendeu que, "perante os dados novos", o petróleo que se está a negociar com o Senegal "é da Guiné-Bissau" e exortou os cidadãos a estarem todos do mesmo lado, noticiou a Lusa esta segunda-feira.

João Monteiro faz parte de um grupo de notáveis guineenses, entre académicos, activistas sociais, ambientalistas e militares, que querem ver a Guiné-Bissau "a ter uma abordagem mais convincente" nas negociações com o Senegal sobre a partilha dos lucros do petróleo e gás que se acredita existirem "em grandes quantidades" numa zona marítima constituída pelos dois países.

O antigo chefe da diplomacia guineense admite "um traçado injusto da fronteira com o Senegal", mas considerou que neste momento o que está em discussão é a partilha dos lucros do petróleo e gás, embora não coloque de parte a possibilidade de a questão da divisão da fronteira ser discutida "um dia".
Monteiro defende a união de todos os guineenses, para se constituírem "numa força de pressão para que as autoridades adoptem  uma posição mais robusta" nas negociações com o Senegal sobre a nova partilha que deve ser feita, notou.

O acordo de partilha dos eventuais lucros dos  recursos vigorou durante 20 anos, até que, em Dezembro de 2014, o actual Presidente guineense, José Mário Vaz, denunciou os moldes sobre os quais assentava a divisão, previa 85% para o Senegal e 15% para a Guiné-Bissau.

As vozes da sociedade civil e o ex-chefe das Forças Armadas guineenses, almirante Zamora Induta, consideram aquela partilha de injusta e alegam agora que "na realidade o petróleo pertence por inteiro à Guiné-Bissau".
"Os dados dizem-nos que o petróleo é nosso", disse, em entrevista à Lusa, Monteiro, que, contudo, não quer que esta questão levante sentimentos de nacionalismos extremos nos dois lados.

No final de Agosto, os dois países vão encontrar-se, em Bissau, para mais uma ronda negocial sobre a nova partilha dos lucros do petróleo e gás que possam ser encontrados na zona de exploração conjunta, que comporta uma plataforma marítima de cerca de 25 quilómetros, sendo que a Guiné-Bissau disponibilizou 46% do seu território marítimo e o Senegal 54%.
O almirante Zamora Induta defende que antes de se falar da partilha de lucros do petróleo, a Guiné-Bissau deve obrigar o Senegal a redefinir o traçado da fronteira marítima entre os dois países, para provar que a zona em questão pertence "por inteiro à Guiné-Bissau".

Para levar a que haja um "único posicionamento" e evitar "dispersão de opiniões" sobre o que deve ser o contributo da sociedade civil, o  Monteiro pretende organizar na próxima semana, em Bissau, um encontro que junte todos os que têm algo a dizer sobre o assunto.
"Queremos apresentar ao Governo uma estratégia de apoio para influenciar o curso destas negociações", declarou Monteiro, sublinhando que o executivo e o Presidente José Mário Vaz teriam "muito a ganhar" se liderassem o debate nacional sobre a questão do petróleo e gás com o Senegal.
Rispito.com/Lusa, 13-08-2018

sexta-feira, 10 de agosto de 2018

Equipa médica chinesa ajuda guineenses com cataratas

O embaixador da China na Guiné-Bissau, Jin Hongjun, disse hoje que uma equipa de médicos chineses esteve no país durante 12 dias a ajudar doentes guineenses com problemas oftalmológicos.
Foto de Braima Darame."A equipa tratou gratuitamente pessoas que sofrem de cataratas. Estiveram aqui 12 dias e conseguiram fazer exames a mais de 400 doentes oriundos de várias regiões da Guiné-Bissau e chegaram a fazer 216 cirurgias com grande sucesso", afirmou o embaixador.
Jin Hongjun falava aos jornalistas no final de um encontro com o chefe de Estado guineense, que serviu para fazer um balanço do trabalho da equipa médica.
Segundo o embaixador chinês, o equipamento que veio com a equipa médica, no valor de 165 milhões de francos cfa, foi doado ao Hospital Nacional Simão Mendes, em Bissau.
A equipa médica chinesa também deu formação aos técnicos do hospital.
"Os técnicos locais podem continuar com este tipo de cirurgia e a resolver o problema das pessoas que sofrem de cataratas", salientou.
O embaixador chinês disse que os dois países têm vontade de reforçar a cooperação no setor da saúde e admitiu a possibilidade de aquela equipa médica regressar ao país.
Rispito.com/Lusa, 10-08-2018

Aristides Gomes admite possibilidade de adiamento das legislativas

O Primeiro-Ministro bissau-guinense, Aristides Gomes, admitiu nesta quinta-feira, em Bissau, a possibilidade de um adiamento das eleições legislativas previstas para Novembro, nesse país lusófono da África do Oeste, noticiou a Prensa Latina.

O governante admitiu essa possibilidade em resposta aos parlamentares sobre questões de governação, nomeadamente sobre a inscrição dos eleitores nas listas eleitorais.

Para o chefe do governo, o atraso registado na chegada do material de registo dos eleitores poderá atrasar à realização das eleições legislativas, tendo sugerido, como solução flexível, as posições dos partidos políticos, nomeadamente no que concerne ao mode de inscrição dos eleitores.
Aristides Gomes rejeitou as críticas de certos políticos que acusam o executivo de violar os prazos eleitorais previstos na lei.

Antes da intervenção do Primeiro-Ministro, o presidente da Assembleia nacional, Cipriano Cassama, afirmou que partilha as preocupações ligadas ao início da inscrição dos eleitores.

Por seu turno, o deputado Certorio Biote, chefe do grupo parlamentar do Partido de Renovação Social (PRS, oposição), solicitou ao governo a respeitar as normas jurídicas do processo de inscrição dos eleitores.

De igual modo, o Colectivo dos partidos democráticos solicitou ao executivo a apresentar o tr abalho já realizado para uma eventual realização das eleições legislativas.
Essas legislativas constituem uma base essencial dos acordos de saída da crise na Guiné-Bissau.
Rispito.com/Angop,10-08-2018

quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Banco Mundial aprova 9,2 milhões de euros para apoio da educação na Guiné-Bissau

Image result for banco mundialO Banco Mundial aprovou um apoio de 9,2 milhões de euros para apoiar o setor da educação na Guiné-Bissau, anunciou hoje o Governo guineense.

Em comunicado à imprensa, o Governo explica que o apoio aprovado pelo Banco Mundial a 31 de julho é da Agência Internacional para o Desenvolvimento e junta-se ao apoio já dado pela Parceria Mundial para a Educação, no valor de 3,7 milhões de euros.

O projeto Educação de Qualidade para Todos do Governo guineense tem como principal objetivo melhorar o ensino e a aprendizagem na escola primária.

Segundo o comunicado, o projeto tem três componentes principais, nomeadamente a participação comunitária na gestão das escolas, melhorar a qualidade de ensino através da certificação dos professores para o reforço das capacidades do Ministério da Educação, Ensino Superior, Juventude, Cultura e Desportos.
Rispito.com/Lusa. 08-08-2018

Grupo vietnamita vai comprar toda a castanha de caju produzida na Guiné-Bissau

O grupo vietnamita T&T assinou um memorando com o Governo da Guiné-Bissau para comprar toda a produção anual de castanha de caju, entre as 150.000 e as 200.000 toneladas, noticiou a imprensa oficial do Vietname.

O memorando foi assinado no dia 6, em Hanói, capital do Vietname, pelo ministro do Comércio, Indústria e Turismo, Vicente Fernandes, e pelo presidente do conselho de administração e diretor-executivo do Grupo T&T, Do Quang Hien.

O documento assume ainda que o Governo de Bissau fica responsável pela produção, controlo de qualidade, expedição, prazos e canais de pagamento. De acordo com os dados da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), em 2016, a Guiné-Bissau produziu 153.888 toneladas de castanha de caju.

Com a assinatura do documento, o Grupo T&T passa assim a controlar a totalidade de castanha de caju produzida no país. De acordo com a rádio estatal vietnamita Voice of Vietnam (VOV), durante as negociações foi também discutida a possibilidade da importação de arroz vietnamita pelo país africano.

Segundo a mesma fonte, o ministro do Vicente Fernandes acredita que a Guiné-Bissau e o Vietname têm muitas semelhanças, com ambos a serem países com economias sustentadas principalmente na agricultura.

Vicente Fernandes crê ainda que a assinatura deste memorando assinala uma nova fase na cooperação bilateral e salientou que a experiência do Grupo T&T na área económica pode ser promissora para ambos os lados.

Nas declarações apontadas pela VOV, o ministro acredita na cooperação entre os dois países em áreas como o desenvolvimento de infraestruturas, portos e formação de recursos humanos. O ministro-adjunto da Indústria e Comércio vietnamita, Do Thang Hai, sublinhou o grande potencial para as exportações de arroz e castanha de caju entre os dois países.

A castanha de caju é o principal produto de exportação da Guiné-Bissau e motor do crescimento económico, mas o produto ainda não é transformado no país. Segundo estudos realizados no país, a Guiné-Bissau podia ganhar dez vezes mais se aproveitasse o fruto e transformasse a castanha em amêndoa no país.
Rispito.com/Lusa, 08-08-2018