quarta-feira, 31 de agosto de 2016

COMISSÃO PERMANENTE DA ANP CHUMBOU A CONVOCAÇÃO DE UMA SESSÃO EXTRAORDINÁRIA 

A Comissão Permanente da Assembleia Nacional Popular chumbou nesta quarta-feira, o pedido de convocação de uma Sessão Extraordinária da ANP, para apresentado, debate e votação do Programa do Governo de Baciro Djá.
Recordamos que, recentemente um bloco constituído por 57 parlamentares que sustenta a vida do Governo de Baciro Djá, entregou uma petição ao Presidente da ANP, exigindo a convocação de uma Sessão Extraordinária para o efeito. 
A Comissão Permanente da ANP constituída por nove deputados do PAIGC e seis do PRS, na sua deliberação nº 07 indica que o requerimento apresentado pelo grupo, carece de legalidade. Avançando que não existem condições para o normal funcionamento do parlamento guineense, e nos últimos tempos os representantes do povo se envolveram em atos de obscenas na plenária da ANP.
Por agora, só resta esperar para ver a decisão do Presidente da República, José Mário Vaz quanto à este impasse politico e consequentemente bloqueio do país cerca de um ano sem solução plausível.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 31/08/2016

DIA AFRICANO DA MEDICINA TRADICIONAL CELEBRADO EM BISSAU 

África celebra nesta quarta-feira 31 de agosto, “dia africano da medicina tradicional” este ano sob o lema, regulamentar os produtos da medicina tradicional em áfrica.”
No país, o governo em parceria com a ONG-PROMETRA, caritas de Bissau e a OMS celebraram a efeméride, cuja cerimónia foi presidida pela Secretaria de Estado da Gestão Hospitalar.
Maria Inácia có Sanhá destacou a necessidade de se implementar a medicina tradicional com maior controlo para não prejudicar os pacientes.    
O Coordenador Nacional da OGN-PROMETRA, Idrissa Biai afirmou que apesar dos sinais encorajadores que prática se revela, o país ainda não dispõe de um quadro legal da medicina tradicional
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 29/08/2016

DIVERGÊNCIAS ENTRE PAIGC E PRS MANTÉM

Os dois principais partidos no Parlamento guineense, PAIGC e PRS, mostraram-se divergentes quanto a fórmula para tirar o país da crise política em que se encontra há mais de um ano, depois de mais uma ronda de conversações.

As duas formações reuniram-se hoje, na segunda ronda negocial, mas à saída do encontro, Manuel dos Santos do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde) e Carlitos Barai do PRS (Partido da Renovação Social) mostraram-se distantes quanto as conclusões. 

Enquanto Manuel dos Santos apontava para avanços nas negociações, tendo em vista a formação de "um Governo sério", liderado por um primeiro-ministro que não seja o atual, Carlitos Barai fazia notar que "persistem as divergências" sobre os pontos em agenda. 

"Cada partido continua a ter a sua interpretação sobre a crise, de modo que não é por agora que vamos ter um acordo", sublinhou Carlitos Barai, que prefere falar em conversações solicitadas pelo PAIGC. 

Segundo Barai, o PAIGC indicou três pontos para as conversações: Princípios e regras para uma sã convivência democrática entre os dois partidos, causas do bloqueio no Parlamento e como salvar a atual legislatura. 

O dirigente do PRS disse serem divergentes as opiniões dos dois partidos sobre os três pontos, pelo que a comissão que toma parte nas conversações vai ter que pedir a anuência da direção do partido sobre a necessidade da continuar ou com as conversações com o PAIGC. 

Manuel dos Santos, por seu lado, defende serem negociações com o PRS visando essencialmente a formação de um novo Governo de consenso entre os dois partidos. 

Admitiu que se registaram avanços significativos nas negociações com os renovadores embora ressalve que ainda não se pode falar no entendimento que possa levar a assinatura de um acordo para a criação de "um Governo a sério para dirigir o país". 

"Se for possível vamos chegar a um acordo, mas se não for possível, olha", frisou Manuel dos Santos, que coloca de parte qualquer possibilidade de o próximo governo a ser formado, a partir do entendimento entre dois partidos, ser liderado por um dos 15 deputados expulsos do PAIGC. 

O atual Governo guineense é chefiado por Baciro Djá, um dos 15 deputados expulsos do PAIGC. 

Conforme a agenda das conversações, os dois partidos devem voltar encontrar-se na sexta-feira, mas Carlitos Barai do PRS, condicionou a reunião com a decisão a ser tomada pela comissão política do seu partido.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 31/08/2016

DJURTUS NO CAMINHO À CONGO PARA A QUALIFICAÇÃO DO CAN-2016

A euforia dos momentos importantes são reservados com grandes euforias, mas conforme o tempo, desgastam os dias da ordem-decrescente para a chegada do dia precisado.
Guiné-Bissau e os guineenses aguardam com muita ansiedade a participação dos Djurtus para CAN-2016, em Gabão.

A comitiva desportiva da Seleção Nacional de Futebol liderada pelo primeiro-vice presidente da Federação de Futebol da Guiné-Bissau (FFGB), Celestino Goncalves dos Santos vulgo Tinex, desloca-se nesta quarta-feira à Casablanca-Marrocos para juntar-se aos jogadores que já se encontram ali, e depois seguir-se à Congo para o último jogo para a qualificação dos Djurtus para CAN-2016. 

Recordamos que Baciro Candé, Selecionador Nacional de Futebol, divulgou no dia 23 deste mês, a lista dos 21 JOGADORES CONVOCADOS para defrontar a poderosa seleção do Congo, no próximo dia 04 de setembro em Brazzaville.
Eis os convocados:

Guarda-redes
Jonas Mendes (SC Salgueiros)- Port, Pap Fall e Rui Dabo (Cova de Piedade)- Port.
Defesas
Edson Correia Silva (CD Goveia)- Port, Agostinho Soares (Sp. Cuvilhã) Port, Emmanuel Gomes Mendy (FC Ceahlul)-Rom, Rudinilson Silva( Lechia de Gdansk)-Pol, Joari Marinho Soares (Mafra) Port.
Médios 
Zezinho Lopes (Levadiakos)-Gre, Vladimir Forbs (Atletico)-Port, Boucundji Cá (Paris FC)- Fra, Beto Catiane (Arenas Club)- Esp, Cabi Djaló (PS Kemi)- Fin, Nanísio Soares (Gil-Vicente)- Port.
Avançados 
Toni Brito Silva (U. Madeira)-Port, Cícero Semedo (Passos de Fereira)-Port, Bacari Augusto Fernandes (Toti) (FC Canchungo) GB, Fredéric Mendy (Ulsan Hyundai)- R.Cor, Idrissa Camara ( Correggese) Ita, Ansumane Faty ( FC Felgueiras)-Port, Mutaro Embalo ( Olivereinse).
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 31/08/2016

terça-feira, 30 de agosto de 2016

PAIGC E PRS CONTINUAM SEM ACORDO

Os dois principais partidos no Parlamento guineense, PAIGC e PRS, mostraram-se hoje divergentes quanto a fórmula para tirar o país da crise política em que se encontra há mais de um ano, depois de mais uma ronda de conversações. 

As duas formações reuniram-se hoje, na segunda ronda negocial, mas à saída do encontro, Manuel dos Santos do PAIGC (Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde) e Carlitos Barai do PRS (Partido da Renovação Social) mostraram-se distantes quanto as conclusões.

Enquanto Manuel dos Santos apontava para avanços nas negociações, tendo em vista a formação de "um Governo sério", liderado por um primeiro-ministro que não seja o atual, Carlitos Barai fazia notar que "persistem as divergências" sobre os pontos em agenda. 

"Cada partido continua a ter a sua interpretação sobre a crise, de modo que não é por agora que vamos ter um acordo", sublinhou Carlitos Barai, que prefere falar em conversações solicitadas pelo PAIGC. 

Segundo Barai, o PAIGC indicou três pontos para as conversações: Princípios e regras para uma sã convivência democrática entre os dois partidos, causas do bloqueio no Parlamento e como salvar a atual legislatura. 

O dirigente do PRS disse serem divergentes as opiniões dos dois partidos sobre os três pontos, pelo que a comissão que toma parte nas conversações vai ter que pedir a anuência da direção do partido sobre a necessidade da continuar ou com as conversações com o PAIGC. 

Manuel dos Santos, por seu lado, defende serem negociações com o PRS visando essencialmente a formação de um novo Governo de consenso entre os dois partidos. 

Admitiu que se registaram avanços significativos nas negociações com os renovadores embora ressalve que ainda não se pode falar no entendimento que possa levar a assinatura de um acordo para a criação de "um Governo a sério para dirigir o país". 

"Se for possível vamos chegar a um acordo, mas se não for possível, olha", frisou Manuel dos Santos, que coloca de parte qualquer possibilidade de o próximo governo a ser formado, a partir do entendimento entre dois partidos, ser liderado por um dos 15 deputados expulsos do PAIGC. 

O atual Governo guineense é chefiado por Baciro Djá, um dos 15 deputados expulsos do PAIGC. 

Conforme a agenda das conversações, os dois partidos devem voltar encontrar-se na sexta-feira, mas Carlitos Barai do PRS, condicionou a reunião com a decisão a ser tomada pela comissão política do seu partido. 
Rispito.com/Lusa, 30-08-2016

ONU receia que al Qaeda se expanda para a Guiné-Bissau

Guiné-Bissau (REUTERS)O relatório do secretário-geral da ONU sobre a situação na Guiné-Bissau, apresentado esta terça-feira, em Nova Iorque, aos membros do Conselho de Segurança, diz que a al Qaeda no Magrebe Islâmico se pode expandir para o país.

"Existem preocupações de que grupos como a al Qaeda no Magrebe Islâmico podem aproveitar-se da instabilidade na Guiné-Bissau para ganhar presença e avançar a sua agenda de extremismo violento", lê-se no documento, que foi consultado pela Lusa.

Os autores do relatório lembram que em março deste ano quatro indivíduos, suspeitos de colaborar com organizações ligadas à al Qaeda, foram perseguidos pelas autoridades no país e detidos enquanto tentavam cruzar a fronteira.

Por ouitro lado, o relatório recomenda a manutenção das sanções ao país.

"Existe amplo consenso de que as sanções têm atuado como um impedimento ao envolvimento direto das forças de segurança e defesa na deteriorante situação política que o país enfrenta desde agosto de 2015", lê-se ainda no relatório.

Uma destas sanções diz respeito à proibição de sair do país de onze militares que estiveram envolvidos no golpe de estado de 2012, responsáveis que continuam a pertencer às forcas armadas e, à exceção de três, nas mesmas funções.
Rispito.com/Lusa, 30-08-2016

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

DELEGADO DE SEGURANÇA DE ESTADO NO ROUBO DE GADO BOVINO EM PITCHE 

O deputado Djana Sané denuncia nesta segunda-feira em Bissau, envolvimento do delegado de Serviços Interno de Segurança (SIS) na alegada prática de roubo de gado bovino na povoação de Camadjabá, sector de Pitche, leste do país.

O deputado que falava em exclusiva a  Notabanca, afirmou que o delegado em causa está envolvido numa rede de gatunos com cidadãos da Guiné-Conacri, que destroem a juventude na zona. Ato que considera de vergonhoso para o país, já que, o delegado em causa é representante do Estado no local, e ordena a soltura dos gatuno sem que seja feita a justiça.  

Com efeito, o político manteve hoje um encontro com o Ministro do Interior. Agendando para terça-feira dia 30, uma ronda de negociação com a população dessa aldeia em Bissau.  

O deputado Djana acentuou que a vida do delegado corria risco de ataque de retaliação por parte da população local, que pede a remoção completa do corpo de Segurança como forma de pôr fim os sucessivos roubos nessa localidade.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 29/08/2016

300 MILHÕES DE FRANCOS CFA PARA PROGRAMA DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA DA UEMOA NA GUINÉ-BISSAU 

O Governo guineense procedeu oficialmente nesta segunda-feira em Bissau, ao lançamento da primeira fase do “Programa da Assistência Técnica da UEMOA à Guiné-Bissau (PAT-UEMOA-GB) ” num montante global de trezentos milhões de francos cfa, para o reforço da capacidade dos recursos humanos na pilotagem da economia e gestão das finanças públicas.
Presidiu a cerimónia em representação do Governo, o Secretario de Estrado do Plano e da Integração Regional que referiu no ato que o programa caracteriza-se pela partida para a reforma da maioria dos quadros pós-independência e entrada de novos que precisam de acumular experiência num contexto de exigências acrescidas em relação à apropriação de novas tecnologias de informação e comunicação para visão 2025.
Doménico Oliveira Sanca garante que o programa irá funcionar com base na complementaridade e coordenação de esforços da convenção assinada em julho, em Ouagadougou, a quando da visita do PM, Baciro Djá.
José Biai Coordenador Nacional do referido projecto manifestou-se engajamento da sua instituição por forma a concretização do programa traçado entre as partes.
Para Hassane Mohamed da UENOA é preciso organizar seminários para a formação dos quadros nas novas regras de gestão e apetrechar a administração pública com materiais informáticos com vista a garantir o melhoramento das condições de trabalho.
Hassane disse que é preciso também efectuar estágios para que a administração pública seja mais dinâmica e capaz de fazer face aos desafios do desenvolvimento.  
O referido programa visa investir no desenvolvimento do capital humano para o desenvolvimento durável da Guiné-Bissau.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 29/08/2016

domingo, 28 de agosto de 2016

José Mário Vaz no Sudão para receber conselhos do "irmão mais velho" Al-Bashir

O Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, deslocou-se na última madrugada ao Sudão para receber conselhos do seu "irmão mais velho", Omar Al-Bashir, o líder daquele país.

Em curtas declarações aos jornalistas no aeroporto internacional de Bissau, José Mário Vaz disse tratar-se de uma visita de trabalho de "um irmão mais novo ao mais velho", com quem, precisou, irá trocar impressões sobre a situação no continente africano e nos respetivos países.

"Recolher experiência e também receber alguns conselhos de um irmão mais velho", são os objetivos principais da visita ao Sudão, país que o chefe de Estado guineense classificou de "amigo e irmão" da Guiné-Bissau.

O Presidente do Sudão, que está no poder desde 1989, é perseguido pelo Tribunal Penal Internacional, com um mandado de captura emitido após acusações de genocídio e crimes de guerra.

José Mário Vaz deve regressar ao país na segunda-feira. Nenhum membro do Governo integrou a comitiva presidencial.

A visita ao Sudão ocorre três dias de deslocação do líder guineense ao Congo Brazzaville, onde também esteve com os mesmos propósitos.

A Guiné-Bissau passa por um período de impasse político com os principais partidos a não se entenderem no Parlamento onde há mais de um mês o programa do Governo aguarda pela sua aprovação.

Decorrem negociações entre as forças partidárias no sentido de ser criado Governo de consenso que pudesse viabilizar a governação do país.
Rispito.com/Lusa, 28/08/2016

ACTO DE LANÇAMENTO DO LIVRO "A BATALHA DOS VIVOS" 

No mundo da literatura e a republica da Guiné-Bissau se enriqueceu com mais um talentoso escritor, que acaba de publicar a sua primeira obra literária em Lisboa com o título A BATALHA DOS VIVOS.
Samba Bari do seu nome, cujo a obra acaba de ser lançada no Hotel Zurique em Lisboa no dia 27/08/2016, perante uma plateia repleta de assistência.
Portugueses, guineenses e mais um pouco de cada país da comunidade lusófona acudiram para ouvir as palavras sabias do apresentador/moderador Dr Afonso Gomes, da lúcida entoação do resumo biográfico do autor na voz de Luciano Óscar Pereira, assim como a narração distinta e inteligente do próprio autor na justificação das razões  que o levou aparecer no mundo da escrita e o porquê A BATALHA DOS VIVOS como título desse primeiro trabalho.  

Daí que no uso das palavras, Samba Bari deixou essas palavras transcritas no texto abaixo:

Eu entendo que a apresentação desta obra literária, independentemente do seu conteúdo ou do género literário em que se enquadra, deve ter como objectivo principal, não somente a sua divulgação ou a sua simples amostra aos leitores, mas antes deverá constituir-se num encontro de comunicação e de partilha, num momento de explicação estimulante e estimuladora, num envolvimento recíproco do autor, apresentador e leitores, na demonstração interessante que possa motivar os participantes para uma adesão, em termos de leitura, à obra em causa.

Tentei narrar sobre a história dos 43 anos da independência do nosso País, disponibilizando uma obra que pode ser transversal sobre grandes temas de actualidade da vida colectiva dos guineenses.

O objectivo das ideias transformadas em escrita são para manifestar a minha preocupação e tristeza perante aquilo que se passa na minha terra, mas também realçar a importância do respeito e da humildade, da absoluta necessidade de entendimento e reconciliação, que me leva a fazer um veemente e sentido apelo à unidade e à tolerância

Quando comecei a preparar as minhas ideias, desfilaram perante mim os momentos passados, do país onde nasci, onde cresci, das histórias contadas, das outras que vivi e que ainda continuo viver. 

Tudo isso fez crescer em mim a vontade de expor as memórias do passados associado com os factos do presente para partilhar com todas e com todos as minhas impressões. 

Logo ao decidir avançar com a primeira letra escrita nesta obra, a inspiração continua me pareceu ser um génio que nascera para escrever sem dificuldades. 
Isto porque, enquanto vou encontrando cada palavra que escrevo, sinto a sua importância como o próprio sangue correndo nas minhas veias. Tudo isso amassado com suor e com lágrimas, bem misturadas com amargura e, por vezes, remorso de não ter mais tempo para dedicar à escrita.

Mas o sentimentos de patriotismo e o meu grande interesse de participar na construção da minha pátria, nunca me deixaram com uma tranquilidade moral de estar quieto, calado e distante do que se passa. 

Olhando pelos anos de chumbo que tornaram muita gente, fisicamente mais velha, ainda bastante nova de idade. 

Essa tempestade de raiva, de pena e de preocupação, que há longo tempo me avassala, é a razão principal da minha inspiração, dando me uma forte capacidade de escrever. 

Pois sinto a sua utilidade, e uma forte esperança de poder ser capaz de despoletar na contra parte de leitura uma reacção séria, uma verdadeira identificação com a tentativa para transformar ódios e ressentimentos em paz e fraternidade.
Tudo isso me leva assegurar que de nunca vou sentir culpado, ou que essa carga era para outra pessoa e não para mim

Obra: Didáctica com forte componente sociológica
A obra trás um trabalho de pesquisa de datas históricas importantes, das quais não podiam passar a margem de retratar o comportamento principalmente dos políticos, dos militares em particular e da sociedade civil em geral.  Desde da independência a esta parte, colocando ao alcance do leitor factos probatório da narrativa explicativa das causas de inúmeros conflitos armados, desmandos, prisões arbitrárias e várias convulsões sociais da Guiné Bissau. 
Mas para mim, devido a disponibilidade de um historial de datas e factos importantes, considero a obra como didáctica com forte componente sociológica.
Porque as datas marcam o tempo da ocorrência real dos factos desenvolvidos em forma resumida, dos quais são e continuaram ser extremamente importantes para a geração estudantil de todos os tempos.
Enquanto que os aconselhamentos ai associados também são e serão util ao longo de muitas gerações na Guiné-Bissau

EXPLICAÇÃO DO TÍTULO 
Posto isto, adianto dizer que, a porta principal de entrada ou o factor instigador de curiosidade para ler um livro se centra no titulo. Pois essa escrita que nos aparece na capa é o foco atractivo de se descortinar o segredo interno.

Com isso, quero deixar claro de que estou ciente da curiosidade que a frase "A Batalha do vivos" estará a despertar curiosidade não só para os que conhecem a Guiné-Bissau, mas sobretudo aos que conhecem a Guiné-Bissau e a sua realidade politico-social, militar e económico...

O título “A batalha dos vivos” é inspirado, no bom sentido do termo: uma inspiração tranquila que visa impulsionar  simplesmente um raciocínio profundo, daquilo em que consiste ser um simples cidadão ou cidadã, mas também o que deve ser procedimentos de um governante ou estadista; em relação a um país tão fraco, pobre e pequeno. "Guiné-Bissau"

Se fizermos um pequeno exercício de voltar para trás e de rever os anos que já lá vão, desde a resistência perante o colonialismo, aos anos pós independência com partido único, à instauração da democracia e tentativas da sua consolidação. Verificamos que afinal estamos perante batalha dura, e por vezes ingrata.
Ingrata porque desde que a republica da Guiné Bissau foi declarado de soberano e independente, o país e toda a população tornaram-se pendentes e cada vez mais dependentes, a espera do entendimento constantemente adiado.
Ainda hoje continuamos a ter de lutar para conseguir o entendimento, para estabilizar este nosso país que praticamente nunca teve nada e que continua a tentar sobreviver, pelo meio da devastação total, devido à incompreensão mútua e às muitas divergências, que afectam o nosso viver e sentir colectivo.
Uma República com mais de quatro décadas de existência e mais de vinte anos de democracia, continua ainda um país desacreditado, que nunca conseguiu arrancar ou sequer assistir ao termo de um único mandato de qualquer órgão de soberania, fosse de um Governo ou de um Presidente da República, já para não falar do poder autárquico, que nunca chegou a ser empossado.

É uma batalha renhida, mas que todos os guineenses terão de assumir e enfrentar

Mas para tudo isso, de forma alguma se pode contar com quem não estiver no mundo dos vivos, por mais competente, por mais estadista empenhado ou por mais revolucionário activo que essa pessoa possa ter sido um dia. 

De uma ou de outra maneira, só a pessoa viva consegue estar à altura de combater ou ultrapassar o que quer que seja, razão pela qual se deve preservar a vida e valorizar a pessoa humana. 

Porque um ser humano, por mais saber e poder que possa ter, tem limitação e está condenado ao desaparecimento físico. 
Daí a importância de precaução, para quando a morte chegar para nos forçar a abandonar esse campo de batalha dos vivos, é bom que tenha uma consciência tranquila para enfrentar esse último passo levando na bagagem o sentimento do dever cumprido. Daí o título “A batalha dos vivos”.

Para terminar, gostaria de dizer a todos de que, a opção de escrever este livro é a prova de querer partilhar com todos, tudo o que penso e tudo o que quero, num documento vital e precioso que a partir de hoje está a disposição publica.
Porque afina eu tenho consciência de que:
Os livros são parte importantíssima para a transformação das pessoas e do mundo num lugar melhor.
Livros são os mais silenciosos e constantes amigos;
Livros são os mais acessíveis e sábios conselheiros;
Livros são os mais pacientes professores que temos.
Para terminar:
Aconselho a todos/as aquisição e leitura da minha/nossa obra "A Batalha do vivos"
Porque, a pessoa que lê, compreende melhor o que acontece à sua volta e sente mais intensamente o que lhe acontece.

 Muito obrigado a todos



PAIGC E UNIÃO PARA A MUDANÇA REAGEM SOBRE A VENDA DA MADEIRA CONFISCADA 

Na sequência da decisão do Presidente da República José Mário Vaz  em ordenar aos madeireiros do país que vendam a madeira que lhes tinha sido confiscada pelo Governo demitido, mas exortou-os a pagarem os impostos ao Estado, a notícia foi neste sábado alvo de condenação por parte do PAIGC e o líder da União para Mudança (UM), na sede nacional dos libertadores. 
O facto foi na ocasião de uma sessão de esclarecimento sobre o processo de madeira.
De salientar que o Chefe do Estado já tinha anunciado a devolução da madeira dos empresários apreendida pelo Governo demitido do DSP, há alguns meses. 
Agnelo Regala disse não compreender em como um órgão de soberania, como a Presidência da República pode enveredar-se por esta senda sem ter em conta os trabalhos realizados pela Comissão Interministerial criada para o feito.
O líder da UM indicou que o assunto foi devidamente esclarecido pelo Gabinete Jurídico e do Contencioso, questionando porque só agora surge o Presidente da Republica, pondo em causa o interesse nacional e as recomendações feitas pela comissão.
De igual modo, o PAIGC na voz de ex-ministra de defesa Nacional, Adiato Djaló  Nandigna anunciou o engajamento dos libertadores na reafirmação das conquistas democráticas na Guiné-Bissau.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 27-08-2016

O encontro juntou militantes e simpatizantes do PAIGC, União Para a Mudança (UM) e outras formações políticas do país.
Mais de 100 mil toros de madeira tinham sido confiscados pelo Governo de Domingos Simões Pereira, uma situação considerada de injusta pelos madeireiros, que alegaram terem tido licenças passadas pelo Estado para o abate das árvores.
O então Governo considerava que o corte das árvores tinha sido feito de forma ilegal, pelo que a madeira devia ser vendida e o dinheiro reverter para o Estado, ainda que os madeireiros tivessem direito a um certa quantia. Mas por agora, o PR ordenou a venda da madeira confiscada pelo Governo demitido.   

LÍDER DA APU-PDGB EXIGE PRESIDENTE MÁRIO PARA DEMITIR-SE E CONVOCAR ELEIÇÕES GERAIS  

O Presidente da Assembleia do Povo Unido-Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU- PDGB) exige o Presidente Mário Vaz a dissolver o Parlamento, demitir-se e convocar eleições gerais como forma a por fim a crise politica que se vive no país, cerca de um ano, sem solução plausível.  
Em conferência de imprensa neste sábado em Bissau, Nuno Gomes Nabian acusa o Presidente da República, José Mário Vaz de estar envolvido nos actos ilícitos e vergonhosos que para além de duas maletas transportadas para a Presidência da Republica, o avião da Arabia Saudita trouxe em Bissau espadas. Por isso, exorta ao Chefe de Estado guineense a encaminhar as maletas retiradas do avião provenientes da Arábia Saudita para o Tesouro Público. Porque segundo Nabiam, o país não pode ter dois tesouros públicos. Um no Palácio da República e outro no Ministério das Finanças.  
O líder da Assembleia do Povo Unido assegurou que o Presidente da Republica perdeu o moral e credibilidade no mundo por estar envolvido nos atos ilícitos e vergonhosos que possam colocar o país no isolamento.
O politico indica que o PR está a promover má politica para dividir o povo e aponta a formação de um Governo de Unidade Nacional de “tecnocratas” com vista a realização das eleições gerais na Guiné-Bissau.
Num documento de vinte cinco paginas APU_PDG Nuno Gomes Nabian, José Mário Vaz pretender transformar-se num ditador protelando as suas prerrogativas constitucionais de dissolver a ANP após a aprovação do programa do Governo de Baciro Djá para controlar e apropriar-se dos órgãos do PAIGC com propósitos de afastar a atual direção do partido. 
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 27-08-2017

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Introduzido novo método de regularização do preço do peixe no mercado

A tabela dos preços dos diferentes peixes será afixada no local de venda dos mesmosFoi introduzido na Guiné-Bissau, na quarta-feira, um novo método de regularização do preço do peixe no mercado. O anúncio foi feito pelo ministro das Pescas, Fernando Correia Landim.

A partir de agora, a tabela dos preços dos diferentes peixes será afixada no local de venda dos mesmos. «A compra de grande quantidade de peixe por uma só pessoa vai acabar, para se evitar o aumento injusto do preço. Muitas das vezes um individuo adquire uma quantidade elevada de peixe porque quer obter lucro demasiado», disse o ministro, citado pela ANG Notícias.

Fernando Landim apelou ainda às vendedoras de peixe para denunciaram os preços anormais, visto que será afixado o preço por cada qualidade de peixe, evitando assim infrações à lei.
Rispito.com/A Bola, 25/08/2016

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

PRESIDENTE MÁRIO VAZ DE VIAGEM À CONGO E SUDÃO 

O Presidente guineense, José Mário Vaz, deslocou-se nesta quarta-feira à República do Congo, de onde segue para o Sudão, para uma visita a convite dos seus homólogos, Sassou Nguesso e Omar El-Bashir, respetivamente. 

Em declarações à imprensa antes de embarcar para Brazzaville, José Mário Vaz não se alongou quanto aos objetivos da visita ao Sudão, mas sobre o Congo disse ser uma resposta ao convite do "colega e irmão", Sassou Nguesso, com quem disse, irá passar em revista os temas internacionais e dos dois países.

O chefe de Estado guineense, não precisou quantos dias irá permanecer nos dois países, disse apenas que o líder do Congo, "desde os primeiros momentos, sempre mostrou total abertura" no relacionamento com a Guiné-Bissau.

José Mário Vaz afirmou que, talvez tenha sido convidado por Sassou Nguesso, na sequência de "um bom relacionamento" que este mantinha com os anteriores líderes guineenses, nomeadamente Amílcar Cabral, Luís Cabral e João Bernardo "Nino" Vieira.

O Presidente guineense sublinhou que o facto de Sassou Nguesso fazer questão de o receber na sua terra natal, na região de Edou, "simboliza a amizade" existente entre os dois países, disse.
Questionado pelos jornalistas quanto ao impasse político que se regista no país, nomeadamente o bloqueio no Parlamento, onde os dois principais partidos não se entendem há mais de um mês, José Mário Vaz disse ser um assunto para ser resolvido a nível daquele órgão. Disse a Lusa
Rispito.com/Lusa, 24-08-2016


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

JBV EM LIBERDADE 

O ex-secretário de Estado dos Transportes e Comunicações da Guiné-Bissau, João Bernardo Vieira, saiu hoje em liberdade após ter sido detido durante uma semana por ordem do Ministério Público.
João Bernardo Vieira, detido pela Polícia Judiciária a 17 deste mês, dia em que completou 39 anos, disse, em declarações aos jornalistas que acredita na justiça divina.
“Sempre disse que o poder de Deus é maior que o dos homens”, enfatizou o ex-governante, que estava com um enorme crucifixo católico no pescoço quando saiu da cela.
Afirmando-se crente em Deus, João Bernardo Vieira disse que tem sido perseguido “há mais de um ano” - por pessoas ou entidades que não especificou - mas que sempre se predispôs para provar a sua inocência perante a justiça, na qual também acredita.
O advogado do ex-governante, Carlos Pinto Pereira, disse que o seu constituinte desconhece qual a acusação formulada por parte do Ministério Público contra si e que este saiu em liberdade porque o Juiz de Instrução Criminal (JIC) do Tribunal de Relação de Bissau aceitou o pedido de 'habeas corpus' que interpôs.
O Ministério Público queria que o JIC confirmasse a prisão preventiva do ex-governante, enquanto estivesse a investigar um conjunto de suspeitas que alega penderem sobre João Bernardo Vieira durante a sua presença no Governo.
Entre as suspeitas, figura o processo de contratação da empresa de aviação privada portuguesa, EuroAtlantic, que liga a Guiné-Bissau a Portugal, liderado por João Bernardo Vieira, indicou à Lusa uma fonte judicial, mas que se recusou a adiantar pormenores das alegadas dúvidas.
O advogado Carlos Pinto Pereira notou que João Bernardo Vieira “vai aguardar tranquilamente em sua casa” pelas diligências futuras “estando totalmente disponível” para colaborar com a justiça para a descoberta da verdade sobre qualquer acusação, disse.
O Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), de que João Bernardo Vieira é porta-voz, considera que o seu dirigente é alvo de perseguição por parte do Procurador-Geral da República, António Sedja Man e do Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz.
O partido denuncia a existência de uma alegada lista com os nomes dos seus dirigentes, todos ex-governantes, que vão ser detidos, mas sem indicar de quem se tratam.
Rispito.com/Lai Balde/correspondente, 24-08-2016

PAIGC E PRS EM BUSCA DE SOLUCÇAO A CRISE POLÍTICA

Os dois principais partidos no Parlamento da Guiné-Bissau analisaram hoje cenários para “saída da crise” que assola o país e projetaram encontros para esta sexta-feira e terça-feira da próxima semana com uma agenda definida, disseram fontes partidárias.
Na próxima sexta-feira, às 15:00 de Bissau (16:00 em Lisboa) uma delegação negocial do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) desloca-se à sede do Partido da Renovação Social (PRS).
Na terça-feira, às 10:00 de Bissau (11:00 em Lisboa) será a vez de o PAIGC receber, na sua sede, o PRS.
Fontes dos dois partidos indicaram à Lusa, que nessas rondas negociais estarão em análise, entre outros pontos, a possibilidade de ser criado um Governo de consenso e de incidência parlamentar.


O PAIGC venceu as últimas eleições legislativas na Guiné-Bissau, obtendo 57 mandatos no Parlamento, mas passa por uma crise interna com 15 dos deputados a serem excluídos da sua bancada.
A crise interna levou a que o partido esteja neste momento arredado do poder, tendo sido substituído pelo PRS, que conta com 41 mandatos no Parlamento, os quais associou os 15 deputados expulsos do PAIGC, para reclamar uma nova maioria no hemiciclo.
Sobre o encontro do hoje, que marca a retoma das conversações entre os dois partidos desavindos há mais de um ano, Manuel dos Santos, em nome do PAIGC, disse que estão a procura de “soluções para viabilização do país”.
“Vamos esgrimir argumentos, partir pedra, sem qualquer preconceito, (…), vamos discutir os assuntos candentes do país”, sublinhou Manuel dos Santos, antigo ministro e veterano da luta pela independência da Guiné e Cabo Verde.
Do lado do PRS, Carlitos Barai, afirmou que o seu partido respondeu a um convite formulado pelo PAIGC “como mandam as regras de uma boa convivência" entre forcas políticas.
Destacou que o seu partido recebeu do PAIGC uma proposta contendo três cenários para a saída da crise, os quais não quis revelar, mas adiantou que irão ser analisados pelos órgãos internos do PRS.
“Ainda é cedo para falarmos em qualquer entendimento”, declarou Carlitos Barai, antigo ministro das Obras Públicas.
Rispito.com/Lai Balde/correspondente, 24-08-2016

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Convocatória para o jogo contra Togo

Baciro Candé,  selecionador nacional de futebol, divulgou hoje a lista dos 21 JOGADORES CONVOCADOS que vão defrontar a selecção de Congo, no próximo dia 04 de setembro em Brazaville.
Eis os convocados:
Guarda-redes
Jonas Mendes (SC Salgueiros)- Port, Pap Fall e Rui Dabo (Cova de Piedade)- Port.
Defesas
Edson Correia Silva (CD Goveia)- Port, Agostinho Soares (Sp. Cuvilhã) Port, Emmanuel Gomes Mendy (FC Ceahlul)-Rom, Rudinilson Silva( Lechia de Gdansk)-Pol, Joari Marinho Soares (Mafra) Port.
Médios 
Zezinho Lopes (Levadiakos)-Gre, Vladimir Forbs (Atletico)-Port, Boucundji Cá (Paris FC)- Fra, Beto Catiane (Arenas Club)- Esp, Cabi Djaló (PS Kemi)- Fin, Nanísio Soares (Gil-Vicente)- Port.
Avançados 
Toni Brito Silva (U. Madeira)-Port, Cícero Semedo (Passos de Fereira)-Port, Bacari Augusto Fernandes (Toti) (FC Canchungo) GB, Fredéric Mendy (Ulsan Hyundai)- R.Cor, Idrissa Camara ( Correggese) Ita, Ansumane Faty ( FC Felgueiras)-Port, Mutaro Embalo ( Olivereinse).
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 23-8-16

Victor Mandinga recusa ter assinado requerimento  para convocação de uma sessão extraordinária

Victor Mandinga, deputado de PCD negou hoje ter assinado documento documento que convoca uma sessão extraordinária de Assembleia Nacional Popular para a discussão e eventual  aprovação ou não do programa do governo.
Conforme o deputado o documento que os dois deputados do PCD assinaram foi um documento que pede uma reunião com o Presidente da ANP e não um requerimento para a convocação de uma sessão extraordinária.
Nado Mandinga, como é mais conhecido, proferiu essas afirmações as microfones da radio Sol Mansi, uma das radios da capital guineense, afirmando que, “Eu pessoalmente não assinei nada, mas o meu homólogo do partido assinou no meu nome sem saber que o documento era feita com objectivo de discutir a aprovação do programa de governação”,

O politico repisou sublinhando que, o governo de Baciro Djá nao irá conseguir financiamento com o programa “Terra Ranca”, já que o referido programa era feito para 4 anos, e que se não houvesse a interrupção da governação do Domingos Simões Pereira certamente se poderia concretizar em pleno o programa.
E uma coisa deve estar claro para todos, a republica da Guiné-Bissau não depende do governo de inclusão ou de unidade nacional para sair da crise vigente, mas sim de um executivo capaz de cumprir com as suas obrigações de governação, de modo a promover paz e desenvolvimento para o país.
Rispito.com, 23-08-2016

JBV ouvido pelo Juíz mas ainda continua preso

João Bernardo Vieira, detido no passado dia 17, só hoje foi ouvido pelo Juiz de Instrução Criminal (JIC) que informou o seu advogado que não tinha condições para decidir imediatamente sobre qual a situação do político.

A única decisão que o Juiz de Instrução Criminal tomou foi no sentido de manter Bernardo Vieira sob custódia da Polícia Judiciária pelo menos nas próximas 48 horas, conforme previsto no Código Processual Penal guineense, para comunicar se lhe aplica medidas de coação, se sai em liberdade ou se se mantém detido, adiantou Carlos Pinto Pereira.

"Esperamos que dentro desse prazo teremos uma decisão definitiva deste processo", sublinhou o advogado, adiantando que o juiz limitou-se hoje a apreciar o pedido de prisão preventiva solicitada contra João Bernardo Vieira pelo Ministério Público.

Carlos Pinto Pereira indicou igualmente que o juiz não apreciou sequer o pedido de 'habeas corpus' que interpôs, solicitando a libertação de João Bernardo Vieira, tendo remetido ao Ministério Público aquela petição para que aquela instância esclareça os motivos da prisão da detenção do político.

Até aqui o Ministério Público não informou ao tribunal sobre as razões da detenção de João Bernardo Vieira, disse o advogado.

No dia em que o político foi detido pela Polícia Judiciária, por ordem do Ministério Público, Carlos Pinto Pereira, indicara que o seu constituinte era acusado de ter faltado a uma audiência para a qual fora convocado quando ainda exercia funções no Governo.

Segundo Pinto Pereira, João Bernardo Vieira, não compareceu à audiência por não ter recebido nenhuma notificação do Ministério Público que o quer investigar por suspeitas de corrupção.

Reagindo mais uma vez, PAIGC reforçou  dizer que João Bernardo Vieira está a ser vítima de perseguição política por parte do Procurador-Geral da República e do próprio chefe de Estado guineense, José Mário Vaz.
Rispito.com/Lusa, 23-08-2016

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

TAP RETOMA OPERAÇÕES PARA BISSAU EM DEZEMBRO

As operações recomeçam logo no primeiro dia de Dezembro e terão duas frequências semanais. Dakar e São Tomé com mais voos.

A inclusão de Bissau na rede da companhia aérea nacional vem reforçar o seu posicionamento no continente africano. Os voos vão realizar-se às 5ª feiras e sábados – sentido Lisboa-Bissau – e  na rota Bissau-Lisboa, as viagens irão decorrer todas as 6ª feiras e domingos.

Além da retoma para território guineense, a TAP duplicou o número de frequências semanais para Casablanca – 14 – tendo ainda acrescentado mais 3 voos para Maraquexe e 2 para Tânger, tudo isto em Marrocos.

A TAP tem igualmente preparado o reforço da sua oferta para o próximo Inverno: Praia, Sal e São Vicente, todos em Cabo Verde, que terão um aumento de oito frequências semanais face ao período homólogo. Dakar, no Senegal terá mais três voos semanais, sendo que São Tomé regista mais uma operação.
Rispito.com/Lusa, 22-08-2016

Deputados pedem convocação urgente de plenária do parlamento da Guiné-Bissau

Um grupo de 57 deputados entregou hoje uma petição ao presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP), o Parlamento da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, na qual exigem a convocação urgente da sessão plenária do órgão.
Rui Diã de Sousa, porta-voz do grupo, disse que a petição foi subscrita por 41 deputados do Partido da Renovação Social (PRS), 13 parlamentares expulsos do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), dois do Partido da Convergência Democrática (PCD) e um do Partido da Nova Democracia (PND).

De acordo com Diã de Sousa, antigo ministro das Finanças e um dos 15 deputados expulsos do PAIGC, por divergências com a direção liderada por Domingos Simões Pereira, os subscritores da petição constituem a maioria absoluta de parlamentares em efetividade de funções.

A partir da petição hoje entregue, Rui Diã de Sousa acredita que Cipriano Cassamá "vai ter que observar a lei e convocar uma sessão extraordinária" da ANP para a discussão e aprovação do programa do Governo do primeiro-ministro, Baciro Djá.

O Parlamento guineense deixou de funcionar há nove meses devido a divergências entre os dois principais partidos, PAIGC e PRS, e há mais de um mês que não se entendem quanto à forma de marcação de uma sessão para debater o programa do Governo.

O PAIGC, que venceu as últimas eleições legislativas, mas arredado do poder, acusa o PRS de lhe ter usurpado a governação, e por ter a maioria na comissão permanente do Parlamento (órgão de decisão dos assuntos que devem ir ao debate) decidiu bloquear o normal funcionamento do órgão.

Rui Diã de Sousa afirmou, à saída da entrega da petição ao líder do Parlamento, que o bloqueio do órgão tem levado a que "assuntos importantes" fiquem por discutir, nomeadamente a revisão da Constituição do país e outras leis.

O deputado também disse que o bloqueio tem impedido a que o Governo "assuma na plenitude as suas responsabilidades" perante o país e os guineenses.

Em nota de imprensa a que a Lusa teve acesso, o presidente do Parlamento fez saber que recebeu a petição que vai encaminhar para os órgãos competentes, as quais, disse, irão dar um tratamento regimental e constitucional ao pedido dos 57 deputados.
Rispito.com/Lisa, 22-08-2016

sábado, 20 de agosto de 2016

Comunicado de Imprensa
O PAIGC está disposto a negociar com quem quer que seja, para viabilizar uma solução para o país, desde que a base negocial assente na legalidade democrática e no respeito pela Constituição da República.

Foi nesta perspectiva que ontem respondeu a um convite dos integrantes do P5, nomeadamente, a UNIOGBIS, CEDEAO, CPLP, União Africana e União Europeia, para analisar as saídas mais viáveis para a busca de uma solução para a presente crise que assola a Guiné-Bissau na sequência da demissão dos Governos Constitucionais do PAIGC.

O PAIGC saúda e felicita por isso os esforços empreendidos pelo Presidente da Assembleia Nacional Popular, ao fazer sentar as bancadas parlamentares do PAIGC e do PRS, em que ambos manifestaram a sua inteira disponibilidade em colaborar no sentido de se encontrar uma saída para a actual crise, mediante um diálogo institucional entre os dois maiores partidos representados na ANP.

No encontro mantido com o P5, a delegação do PAIGC, manifestou-se aberto a negociar com todos os Partidos Políticos, particularmente com o Partido de Renovação Social (PRS), tendo já, inclusive, enviado à Direcção deste partido um convite, para encetar conversações sérias, transparentes e patrióticas de forma a encontrarem-se as soluções que possibilitem ultrapassar a actual e grave crise que assola o país há cerca de dois anos.

Apesar de ter ganho as ultimas eleições com maioria absoluta, o PAIGC manifestou ao P5 a sua inteira disponibilidade de, no quadro do retorno à legalidade constitucional, dar o seu apoio à formação de um Governo de Inclusão por si liderado, na linha da sua proposta, atempadamente endereçada ao Presidente da República.

O PAIGC aguarda agora um sinal do PRS visando o entabular do processo negocial que conduza o mais rapidamente possível a uma solução para fazer sair o país da grave crise política e institucional em que se encontra.

Bissau, 18 de agosto de 2016
O Gabinete de Imprensa do PAIGC