sábado, 15 de fevereiro de 2014

Entrevista com o candidato presidencial "Luís Nancassa"


Na sequência de pretender trazer todos os ideais dos candidatos as próximas presidenciais da Guiné-Bissau, esta semana a a Radio Rispito Online em simultaneo com Rispito.com entrevistou o grande academico guineense, o Professor Luís Nancassa.  (Clica aqui para ouvir a entrevista)

Uma entravista que foi em direto na Radio Rispito Online que agora podes ler na integra os assuntos abrdados no Rispito.com.


Radio Rispito Online (RRO)- Porquê é que Sr. é persistente ano pós ano em reclamar a melhoria das condições da vida dos professores?


Luís Nancassa (LN) - Olha eu não só reclamo a melhoris da vida dos professores mas sim reclamo a condição da vida de todo o filho guineense e de toda a Guiné-Bissau. Parto da educação porque é da educação que se faz o povo, é da educação que se faz o país. E para se fazer o país e o povo tem que se apostar no sistema educativo, e a posta no sistema educativo significa criar condições mínimas para que aqueles que nela se labutam possam ter as condições propicias de exercer as suas profissões, para que possam cumprir a missão e cumprimisso de quando a Guiné-Bissau tomou a independência lhe incumbiu para levar o país em frente.
É essa missão e essa nobre ideia que me leva a persistir no chamamento de atenção aos governantes de não esquecerem que para que consigamos independência o Amillcar Cabral teve esse cuidado de aspirar a ideia de criação de escolas em todas a zonas libertadas mostrando a ssim aos combatentes a causa da sua integração na luta de libertação nacional e consequêntemente mediante a competencia exigir e impulsionar o desenvolvimento que ainda estamos longe dele.
Daí a minha persaistencia porque nada se consegue numa só sentada de maneiras tenho que me levantar e persistir nessa luta porque nunca não vou-me alinhar com os que pensam que isso deve ser uma coisa manebula... Eu não vou nesse sentido. Porque faço isso de conciencia livre e as considerações pessimistas eu não me alinho com elas, pois eu sei que enquanto estou de vida e tenho saude, vou continuar essa luta para que essa classe possa ter a sua dignidade que bem merece.

(RRO)- Que leitura faz da educação da Guiné-Bissau?

(LN) - Bom... A educação da Guiné-Bissau continua a andar em deriva, como um pequeno barco no oceano, continua sem aquela dignidade que merece. Se não vejamos... Uma educação onde o docente não é pago, não tem condições minimas que dignifica o seu trabalho e o seu empenho, nem secretarias para onde possam depositar os seus planos de aula e nem maneiras de dar aulas. Essa educação só pode ser dita que vai de vento em poupa... Para mim é uma educação que ainda não conseguimos pelo menos o minimo para onde queremos ir.
Daí que volto a repisar de que se a educação é a base do desenvolvimento e depara com esse miseravel trato de governo pós governo, sem orçamentos que garantem uma dignificação dessa area, os nossos passos de caminhada a procura do desenvolvimento continuarão bloqueados.


(RRO)- Quais são as ideias que impulsiona o Sr. a sequêntes candidaturas para a cadeira da presidência de república?

(LN) - Embora ainda não declarei públicamente a minha candidatura mas já depositei os documentos no Supremo Tribunal desde dia 5 de Fevereiro sendo dessa forma a 3ª vez conforme disse o senhor.
Eu acho que a Guiné-Bissau deve ser considerada como um outro país deste mundo que almeja o seu desenvolvimento, quero que a Guiné-Bissau consiga o respeito que merece no contexto mundial. Para que todo o guineense seja bem tratado aqui e no estrangeiro. Pois eu tenho viajado sempre e sei bem como é que os nossos concidadãos são tratados nesse mundo fora.
Eu quero que os jovens guineenses tenham oportunidade. Quero que a Guiné-Bissau ganhe e goze da riqueza que tem.
Como deve calcular que um guineense vive de miserio, passa fome, falta de enegia, falta de água potável, as nossas matas são desbravadas todos os dias, os nossos mares estão repletos de barcos estrangeiros que tiram a riqueza preciosa enquanto o povo continua sem alternativas de como se alimentar e vivem em condições miseraveis... 
Portanto, juntando tudo isso me leva pensar e conclusão de uma certeza de que posso contribuir na melhoria das condições de vida dos guineenses, para que os guineenses possam ter a justiça que lhes garantam a convivencia na irmandade que falta... Em suma, não posso mensionar tudo, pois as razões são tantos que num pequeno esbosso não posso apontar toda a razão da minha candidatura.

(RRO)- Tem algum apoio partidário?

(LN) - Neste preciso momento não!
Constumo candidatar-me como independente e é como independente que me estou a avançar outra vez, tudo porque quando ganhar as eleições posso ser um presidente de todos os guineenses, não um presidente vestido de casaco partidário porque não quero estar em frente do país com dívidas e conotações partidadrias. Porque para mim é isso é que acho justo para dirigir um país como a Guiné-Bissau na altura. Porque só assim que se pode impulsionar a justiça sendo um factor muito importante que consegue garantir a aposta do investimento estrangeiro no país e sem o qual não se pode contar com segurança dos estrangeiros ao país

(RRO)- Tens meios financeiros e logisticas para enfrentar os desafios da campanha eleitoral?

(LN) - Não tenho meios financeiros nem logisticas para enfrentar campanha eleitoral, mas eu tenho o povo comigo do qual vou passar a mensagem do que é justo e do que é possivel.
Porque posso-lhe afiançar Sr. jornalista de que nenhum candidato aqui tem meios
financeiros próprios para enfrentar a campanha eleitoral, simplesmento são pessoas com coragem de contrairem dívidas para infeitar as suas campanhas, comprar votos e etc... Para que depois de ganharem a cadeira de presidencias andarem bem preocupados com pagamento das dividas contraidas. Daí passam a entregar como pagamento as nossas matas que são todas transformadas em madeiras, entregam os nossos mares de onde os nossos peixes são tido levados ao estrangeiro deixando o povo sem poder de comer o recurso pesqueiro naciolnal, entregam as nossas areias que saiem de contentores e contentores para o estrangeiro, ou seja entregam tudo o que é nosso em detrimento de poderem saldar as dividas de campanha... Eu acho que não destes que o nosso povo deseja. Porque se entregarmos tudo o que nos faz desenvolver o país o país continua constantemente em miséria... É isso é que eu não quero, de maneiras que prefiro fazer a campanha do meu geito e da minha maneira para quando eu ganhar fico despreocupado de pagar  dívidas que poe em causa a nossa riqueza nacional, porque "quem não deve não teme"... E eu não quero ter medo como presidente de todos os guineenses.
Pelo que não quero ir no caminho das ilusões que me leva entregar o que não é meu, revertendo num castigo constante desse povo muito sofrido e tão cansado... Para mim isso é crime.
Não recuso a ofertas de pessoas singulares, se aparecer digo obrigado e descomprometido. Mas se não aparecer continuo tranquilo a trabalhar, fazer a minha luta com meios próprios do meu geito e da minha modesta maneira... Mas sei que a minha mensagem vai chegar ao povo, o que é mais importante.

(RRO)- Mas o Sr tem uma equipa formada ao seu lado que se possa apresentar?

(LN) - Tenho os jovens com que eu trabalha, e neste momento que estamos a falar tenho um deles a minha frente a ouvir a nossa conversa.
Tenho jovens, tenho a juventude a contribuir e a trabalhando comigo, pois é a juventude que sofre, é a juventude que não tem escola, é a juventude que não tem trabalho... Conformando com qué? com a dita "bancada"... Mas eu quero transformar a "Bancada" num lugar de descanso depois da hora de trabalho.
Quero que os jovens tenham trabalho, por isso trabalho com os jovens. Vou também trabalhando com os trabalhadores que labutam meses a fio sem um retorno salarial. E são eles os construtores da nossa sociedade e da nossa pátria. São esses a minha equipa de trabalho.

(RRO)- Se o Sr ganhar as eleições quem gostaria de ver no cargo do Primeiro-Ministro?

(LN) - Sabe que isso não depende do presidente, por ser decisão de povo nas urnas, mas em todo caso gostaria de ver um homem trabalhador... Daí que se o partido confiar num candidato vou-me coabitar com ele mas na base de uma dinamica séria, honesta, paciente e aberto ao dialogo para trazer o befeficio ao país é um prazer meu  trabalhar com homem desse perfil.

(RRO)- Se for eleito presidente consegue estabilizar o país e banir os sub-sequêntes conflitos entre militares e politicos?

(LN) - ´Éh... As pessoas que estão nos quarteis são guinessnes como qualquer... Não estão lá porque são estrangeiros, não estão lá porque são desumanos. Estão lá porque o povo lhe confiou esse poder e fazem parte da sociedade. Assim sendo, merecem aquela dignificação e respeito necessário.
Para mim acho que ninguem dele tem prazer de fazer parte de convulsões cíclicos no país o importante é dignifica-los, conversar com eles para alimar as causas que estremam a coabitação entre essas duas classes (Politicos e Militares).
Porque o mais importante na Guiné-Bissau é saber descobrir a causa dos problemas e buscar as soluções necessárias. Resolver tudo a nivel interno para depois de encontrar o etendimento sair para fora a procura do que falta para consolidar esse entendimento encontrado, sem exclusão de nenhuma parte.
Mas repito, não pode haver nenhuma solução dos problemas sem que haja justiça, ou seja a justiça é a pedra angula para regularizar tudo...  E é um aspecto basilar do nosso desnvolvimento.

(RRO)- Sendo assim, qual é a sua prioridade se ganhar as eleições?

(LN) - É toda a Guiné-Bissau, mas perferencialmente a funcionalidade da educação, da justiça e o sector produtivo, nesse ultimo refiro-me a agricultura. Para poder acalmar o animo dos guineenses e a Guiné-Bissau.
Dizem que o cajú é a nossa riqueza, é o nosso ouro ou é o nosso petroleo... Mas o coitadinho camponês que luta com a plantação na base de um sofrimento e de muito sacrificio, chega ao fim de cada campanha sem resultado nenhum. Continua pobre e misaravel enquanto que os que nem conhecem o trabalho e sofrimento no campo é que fica enriquecidos... Resultado, simplesmente dicepção e revolta.
Por isso tem que se trabalhar virado ao campo, porque é no campo e que se faz o escoamento, tem que se criar as vias de comunicação para permitir o escoamento dos  produtos em detrimento de o camponês poder ganhar com o rendimento do seu esforço.

(RRO)- Que projecto de tem para os emigrantes no iscentivo e captação dos intelectuais necessarios enquanto presidente da republica?


(LN) - Quem se candidata para o cargo do Presidente da república sem um projecto para os emigrantes é porque não quer o bem para o país, poque todos os paises em vias de desenvolvimento trabalham com os recursos dos emigrantes, rendimentos pelos quais tem
um grande impulso para o desenvolvimento, pelo que a Guiné não deve fugir da regra. Ou seja, a Guiné tem que valorizar o trabalho dos seus migrantes.
Mas antes de isso, a Guiné tem que ter coragem de defender os seus cidadãos quer onde ele se encontra. O que neste momento é o contrario, sei que os emigrantes são tratados de pessima maneira nos paises onde se encontram pela falta de proteção dos nossos governantes, não sei se é a nossa Diplomacia é que não está a cima e que continua a matar a dignidade de um guineense.
Temos que ter a capacidade e coragem de defender os nossos concidadãos independentemento das suas culpas ou não.
Por isso eu me conto muito bem com os nossos emigrantes porque muitos estão lá para amanha poderem dar os seus  contributos para o país. Se amanha ganhar as eleições vou-me interessar e bem para com todos os cidadãos guineenses incluindo os emigrantes.

(RRO)- Para mim é tudo, contudo o Sr. tem microfone em diposição para as considerações gerais.

(LN) - Primeiro quero agradecer a oportunidade que a sua radio me deu. E de seguida dizer a todo povo da Guiné-Bissau de que eu me candidatei porque vivo sempre como guineense residente e sei o que passa no país, com situação desconfortavel, situação pela qual aposto-me em pedir aos guineenses me darem a oportunidade de poder resolver de dar ou devolver toda a dignidade que um guineense merece e dar todo o desenvolvimento que o povo precisa.
Por isso peço ao povo que se vote na consciencia e não nas ilusões das campanhas recheadas de dividas que logo apos as eleições começam a ruinar o povo devido altas contrações de dividas para chegar ao poder.
Atenção: É o nosso voto que defendemos os nossos direito e de cumprir os nossos deveres
É com o nosso voto que defendemos o futuro dos nossos filhos e decidir o nosso desenvolvimento.
A semelhança do I Congresso de Cassacá que aclarou os militantes e concidadãos qual é o objectivo da luta de libertação nacional aos nossos combatentes é da mesma forma que as eleições decidem os nossos destinos. Pelo que vale a pena participar massivamente mas mediante voto de consciencia.
Obrigado.

(RRO) - A Radio Rispito Online deseja que a Guiné-Bissau ganhe nas próximas eleições contudo se essa vitória é com Sr. Luís Nancassa na presidência da republica desde já o espaço lhe deseja toda a sorte nas próximas eleições e da mesma forma desejar uma boa presidência se for o caso.

(LN) - Tenho a certeza de que é comigo é que a Guine-Bissau vai ganhar... Caso contrario a Guiné-Bissau vai continuar a perder...
Obrigado mais uma vez.

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público