terça-feira, 10 de setembro de 2019

PRS diz que pretende travar tentativa de fraude do PAIGC nas eleições presidência

O chefe do Gabinete do Conselho e Jurisdição do Partido da Renovação Social (PRS), Anselmo Mendes, denunciou, durante a conferência de imprensa realizada esta terça-feira 10 de Setembro, que a persistência do PAIGC com a “correcção dos dados omissos”, ignorando a Lei e a Constituição da República, está relacionada com fraude eleitoral que o Governo de Aristides Gomes em orientação do PAIGC pretendem levar a cabo, tal como aconteceu nas eleições legislativas, em que colaboraram com o Gabinete de Apoio ao Processo Eleitoral e a  CNE para que o PAIGC ganhasse a eleição de Março. 

“Os erros e dados omissos de que hoje se fala como se tratasse de uma fatalidade ocorrida durante o processo de recenseamento eleitoral, quando na realidade são mais de duzentos mil nomes, deliberadamente afastados do caderno eleitoral. Que hoje são encarados pelo PAIGC como um bicho-de-sete-cabeças, não passa de uma oportunidade criada para mais uma orquestração de fraude eleitoral com vista às próximas eleições presidenciais de 24 de Novembro” acusou Anselmo Mendes. 

O chefe do Gabinete do Conselho e Jurisdição do PRS acrescentou que o PAIGC nunca foi transparente nas suas actuações políticas, por esse motivo acrescentou na orgânica do Governo “a dita Secretaria de Estado da Gestão Eleitoral”, usurpando as competências do GTAP e da CNE, com único objectivo de fabricar resultados eleitorais a favor do seu candidato. 

Assim, o PRS ameaça avançar com acções previstas na lei, para inviabilizar o acto do PAIGC empurrar o país para uma onda de crise política, disse Anselmo Mendes. 
Segundo Mendes, o Governo de Aristides Gomes está a violar a Constituição da República e o Regimento da ANP, por ter entrado em caducidade desde 04 de Setembro, quando completaram mais 60 dias sem que o programa do Governo e o Orçamento Geral do Estado fossem submetidos à plenária da Assembleia Nacional Popular, para efeito de discussão e aprovação. 

Por outro lado, os Renovadores exigiram ao Primeiro-ministro que clarifique a situação da droga apreendida no país e dos autores implicados neste crime alegando que o Governo é o principal suspeito, devido à coincidência de casos de circulação de cocaína no país nos dois sucessivos governos do PAIGC cheados por Aristides Gomes.
Rispito.com/e-Global, 10-09-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público