segunda-feira, 13 de junho de 2016

ONG da Guiné-Bissau querem melhorar acesso a financiamentos internacionais

Um conjunto de organizações não-governamentais (ONG) da Guiné-Bissau vai juntar-se num fórum para lutar por melhor acesso a financiamentos internacionais, que dizem estar a ser canalizados para ONG estrangeiras, anunciaram em comunicado.

As organizações guineenses queixam-se de uma tendência para "maior complexidade e burocratização" no acesso a financiamentos, que está a "converter as ONG guineenses em simples executoras de projetos" liderados por "ONG internacionais".

A situação está a "corroer as relações entre elas [as ONGs], que deixam de ser de parceria para se transformar em subalternização, através de processos de subcontratação", refere-se no documento.

Por outro lado, há populações que beneficiavam de projetos de longo prazo de ONGs guineenses, mas que se veem negligenciadas, porque as organizações têm que obedecer agora a uma "lógica dominante de busca de resultados de curto prazo, quantificáveis e tangíveis, que possam satisfazer os doadores", acrescenta-se.

O comunicado é subscrito por 11 organizações guineenses.

Um núcleo dinamizador deverá iniciar os trabalhos para que seja criado "um espaço de concertação, sinergias e solidariedade entre ONG guineenses antes do fim do corrente ano de 2016" para tentar mudar o cenário.

Esse espaço servirá para "influenciar as linhas de financiamento disponibilizadas para a Guiné-Bissau, para que apoiem e favoreçam mais efetivamente as ONGs guineenses e o trabalho que desenvolvem".

Outro dos objetivos passa por "proporcionar um clima de maior estabilidade política e económica e de boa governação a nível local e nacional, capitalizando experiências de advocacia e de diplomacia não-governamental".

O núcleo dinamizador é constituído pelas ONG guineenses AD - Ação para o Desenvolvimento, ALTERNAG, DIVUTEC, EDEC, RENAJ e Tiniguena, que coordena o grupo.
Rispito.com/Lusa, 13-06-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público