segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Presidente guineense Alpha Condé eleito à frente da União Africana

O presidente da Guiné-Conacri, Alpha Condé, foi eleito esta segunda-feira, em Addis Abeba, presidente da União Africana (UA), em substituição do seu homólogo tchadiano Idriss Déby Itno, na presidência rotativa da organização, noticiou o Juene Afrique.
A eleição à presidência rotativa da organização panafricana foi realizada durante uma reunião à porta fechada, antes da cerimónia de abertura da cimeira dos chefes de Estado e de governo esta segunda-feira na capital etíope.
"Cabe-me felicitar meu irmão, Alpha Condé, eleito à frente da União Africana", declarou solenemente o presidente cessante da UA, Idriss Déby Itno, antes de transmitir os poderes ao presidente guineense.
Antes disso, a presidente da Comissão, Nkosazana Dlamini-Zuma, o secretário geral da Nações Unidas, António Guterres, o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, e o vice-presidente cubano, Miguel Diaz-Canel, discursaram na sessão de abertura do conclave.
Zuma rendeu uma singela homenagem à Comunidade Económica dos Estados da África do Oeste (CEDEAO) e a sua presidente em exercício, Ellen Johnson Sirleaf, pela sua contribuição na regulação da crise na Gâmbia.
Sirleaf recebeu uma distinção das mãos de Idriss Déby Itno e de Nkosazana Zuma "por se ter colocado ao lado do povo gambiano e ter defendido os principios da UA".
Adama Barrow, o novo presidente da Gâmbia, que regressou à Banjul a 26 de Janeiro, não se deslocou à Addis Abeba, estando representado na Cimeira pela sua vice-presidente, Fatoumata Tambajan.
Após o intervalo para o almoço, a assembleia procederá a eleição dos comissários e a discussão à volta do dossier mais sensível dessa cimeira, a saber a reintegração do Reino do Marrocos.
Rispito.com/Angop, 30-01-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público