quarta-feira, 3 de maio de 2017


Nancy Schwarz  a caminho das Presidenciais de 2019 

Dentro das discórdias e desentendimento, surge mais uma cidadã disposta e determinada para desafiar o mal estar e de inverter o rumo dos acontecimentos até ai vividos na Guiné-Bissau.

“Se não usar a minha vida ao serviço da sociedade, estou a desperdiçar o bem mais precioso que recebi de DEUS.” 
São palavras de Nancy Germano Schwarz Okeigwe, convicta em poder ser útil para a Guiné-Bissau se for escolhida pelo povo nas próximas eleições de 2019

Nascida a 09 de Abril de 1973, na cidade de Bissau, Nancy Germano Schwarz Okeigwe, casada, licenciada em Sociologia e formação especializada em Educação Especial e
Inclusiva, para pessoas com Síndrome de Asperger (Autismo) e Dislexia.
Educada pela Mãe e pelos Avós, desde muito cedo foi ensinada a valorizar as coisas simples da vida e a expressar os seus sentimentos e anseios de forma assertiva, livre e
responsável, evitando o confronto agressivo, numa atitude de respeito pelos sentimentos do Outro.

Em 1987, foi estudar para a República de Cuba, onde permaneceu até 1992. Foi neste país que aos 16 anos de idade, revelando já a faceta ativista que a iria caracterizar ao
longo da sua vida, decidiu integrar as ªleiras da Juventude Africana Amílcar Cabral (JAAC),convicta de que este tipo de organizações constitui-se como uma plataforma
essencial para combater a passividade e aumentar os níveis de responsabilidade social.
Quando, em1992, o seu irmão mais velho lhe comunica que a Mãe lhes enviara o bilhete para o voo do regresso deªnitivo a Portugal, sentimentos contraditórios se
apoderaram de Nancy, entre a alegria do regresso para junto dos seus familiares mais próximos e a tristeza de deixar amigos e um país que lhe ensinara a verdadeira
essência do sacrifício na defesa dos ideais de justiça.
Uma vez em Portugal, conclui o Ensino Secundário na Escola Secundária João de Deus, em Faro e frequentou durante 2 anos, o curso de Sociologia no Pólo da Universidade
Lusófona de Portimão. Continuou a sua Formação em Lisboa, na mesma Universidade Lusófona, sendo condecorada a melhor aluna do 3.º ano do seu Curso. Dedicou o
diploma recebido a sua Mãe, Maria Fernanda Ledo Germano Schwarz (https://www.nancygschwarz.com/perªl-da-candidata) que considera ser a sua maior fonte de
inspiração.
Ainda na Universidade, foi cofundadora do “Movimento Estudantil Guineense para a Emancipação Cívica”. O Movimento organizou uma marcha em Lisboa, intitulada “
”, evento que mereceu a cobertura por parte da RDP África.
Em 2006, durante uma viagem de férias ao Canadá, percebeu a necessidade de aumentar a sua proªciência ao nível da Língua Inglesa, pelo que no seu regresso a Portugal,
optou por sair da empresa onde trabalhava, na área de Recursos Humanos, passando a residir no Reino Unido.
Em Londres, conhece o autor do projeto “Associação da Comunidade Guineense em Londres”, que a convidou para formarem a Associação. Os trabalhos desenvolvidos por
esta Organização, são bem conhecidos da comunidade guineense e lusófona de Londres e também na Guiné-Bissau.
Em 2011, Nancy Schwarz sempre dedicada às causas solidárias e de ajuda ao próximo, pediu licença sem vencimento à Direção da MacIntyre, organização onde trabalhava
como Técnica na área Sociopedagógica, a ªm de poder coordenar a equipa que levaria materiais escolares, hospitalares e vestuário, destinados aos Hospitais de Bissau,
Bafatá, Mansoa e Bolama.
De regresso ao país que havia deixado 26 anos antes, e após ter recuperado do “choque” inicial ao constatar o estado de penúria em que se encontrava a sua Guiné, o desejo
que a avassalou foi o de participar direta e ativamente na reconstrução da Guiné-Bissau.

Fonte: nancygschwarz.com (https://www.nancygschwarz.com/perªl-da-candidata)

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público