quarta-feira, 28 de junho de 2017

EUA - Guiné-Bissau não cumpre requisitos mínimos nem se esforça para eliminar tráfico de pessoas

Image result for estados unidos da americaO Governo da Guiné-Bissau não cumpre os requisitos mínimos para eliminar o tráfico de pessoas e também não faz esforços nesse sentido, refere o "Relatório sobre Tráfico de Pessoas 2017" do Departamento de Estado norte-americano (EUA).
Segundo o documento, elaborado pelo Gabinete para Monitorizar e Combater o Tráfico de Pessoas, na Guiné-Bissau existem leis contra o tráfico de pessoas, mas não foram utilizadas para o combater.

No caso da Guiné-Bissau, o tráfico de pessoas está associado a crianças que são levadas por falsos mestres do Corão para o Senegal, sendo depois vítimas de trabalhos forçados.
O relatório refere também que meninas guineenses são obrigadas a ir trabalhar como domésticas para o Senegal e a Guiné-Conacri e também são aliciadas por mulheres senegalesas que as levam para a prostituição. O documento refere também exploração sexual nos hotéis das ilhas dos Bijagós.
"As meninas guineenses são exploradas sexualmente em bares, discotecas e hotéis de Bissau", salienta.

Segundo o documento, pelo segundo ano consecutivo, as autoridades não reportaram qualquer investigação, acusação ou condenação por tráfico.
"Nem nunca nenhum traficante foi acusado", sublinha o documento.
Apesar de a Polícia Judiciária ter formado uma brigada para as Mulheres e Crianças, para investigar crimes relacionados com as mulheres e crianças, os 10 elementos que a compõem têm apenas uma viatura, não têm orçamento para operações de investigação, que acabam por ficar concentradas em Bissau.

O documento recomenda às autoridades da Guiné-Bissau para investigarem e acusarem os crimes relacionados com o tráfico de pessoas, incluindo os falsos mestres do Corão, a aumentar o apoio às organizações não-governamentais que trabalham no terreno a impedir o tráfico de crianças e a criar condições para acolhimento de vítimas de tráfico.
No relatório, a Guiné-Bissau está classificada na categoria 3 para eliminar o tráfico de pessoas, que segundo o Departamento de Estado norte-americano, define os Estados que "não cumprem os requisitos mínimos e que nem sequer estão a fazer esforços nesse sentido".
Rispito.com/DN, 28-06-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público