sexta-feira, 7 de julho de 2017

Embaixada de Portugal em Bissau promove curso de alfabetização de militares guineenses

A embaixada de Portugal na Guiné-Bissau vai promover, juntamente com o Ministério da Defesa guineense, um curso de alfabetização para elementos das Forças Armadas de vários quartéis, anunciaram hoje fontes oficiais.

Fábio Sousa, adido para cooperação e José Morgado, adido da Defesa, indicaram que o curso visa capacitar, durante seis meses, 715 militares dos aquartelamentos de Bissau, Bafatá, Gabú, Ingoré, Bula, Mansoa, Quebo e Buba.
As aulas serão intensivas, durante uma hora e meia todos os dias, precisou Fábio Sousa, também responsável na Guiné-Bissau pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua.

Já o coronel José Morgado, explicou que o curso tem como finalidade ajudar os militares guineenses a melhorarem na componente de produção de documentos e do uso da própria língua portuguesa.
De concreto a iniciativa visa "cobrir as lacunas" ao nível da alfabetização, interpretação de textos em português e produção de documentos militares, acrescentou o adido da Defesa junto à embaixada de Portugal na Guiné-Bissau.

Para ministrar o curso, os promotores da iniciativa lançaram um anúncio público para a contratação, em regime de prestação temporária de serviços, de 11 alfabetizadores e 16 professores de língua portuguesa.
A seguir, serão feitos testes de nível e de conhecimento em língua portuguesa, para determinar a composição das turmas dos formandos.

O projeto que tem como objetivo, contribuir para a consolidação da missão republicana das Forças Armadas guineenses, foi iniciado em 2016, contando, além da embaixada de Portugal, com o Ministério da Defesa e o Estado-Maior General, precisou ainda Fábio Sousa.
Rispito.com/DN, 07/07/2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público