segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Novo embaixador da Nigeria defende contribuição dos cidadãos guineenses para paz no país

O novo embaixador da Nigéria na Guiné-Bissau, Adeyemi Afo Laham Ambrosi, defendeu hoje, segunda-feira, que os guineenses têm de contribuir para que haja paz na Guiné-Bissau, noticiou a Lusa.
Image result for bandeira da nigeria"Os próprios guineenses têm de contribuir para que haja paz na Guiné-Bissau", disse o embaixador, quando questionado pelos jornalistas sobre a continuação do apoio da Nigéria à Ecomib, força militar da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), estacionada no país desde 2012.
O novo embaixador, que falava à imprensa depois de um encontro com o Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, sublinhou, contudo, que "precisa de tempo para analisar a situação" no país, porque acabou de chegar, mas referiu que a Nigéria "só quer paz" em África e em outros locais do mundo.
Sobre a sua missão, o diplomata disse que vem com instruções para "cimentar e aumentar" a cooperação existente entre os dois países e para "trabalhar em conjunto para o desenvolvimento".
O antigo presidente da Nigéria, Olesegun Obasanjo, foi um dos primeiros mediadores mandatados para a CEDEAO para ajudar os guineenses a ultrapassar a crise política que o país vive há cerca de dois anos.
O actual Governo da Guiné-Bissau não tem o apoio do partido que ganhou as eleições com maioria absoluta e o impasse político tem levado vários países e instituições internacionais a apelarem a um consenso para a aplicação do Acordo de Conacri.
O Acordo de Conacri, patrocinado pela Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), prevê a formação de um Governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento e a nomeação de um primeiro-ministro de consenso e da confiança do chefe de Estado, entre outros pontos.
Rispito.com/Lusa, 09-10-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público