terça-feira, 10 de abril de 2018

UNTG contra avaliação do FMI

Central sindical guineense contra avaliação do FMI sobre o crescimento económico

Foto de Braima Darame.
O secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné (UNTG), maior central sindical do país, Júlio Mendonça, criticou hoje as avaliações feitas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), segundo as quais a economia guineense está a crescer.


"As avaliações que o FMI faz não refletem, de maneira nenhuma, a situação socioeconómica do país", observou Júlio Mendonça.
O líder da UNTG afirmou que só o FMI é que consegue perceber o crescimento da economia guineense, já que aquele facto não se reflete na vida dos funcionários públicos.

A haver algum crescimento só o sentem os ministros, enfatizou o líder da UNTG.

Para Mendonça, não se pode falar num crescimento económico quando um funcionário público guineense "não consegue pagar as contas com o seu salário nem durante uma semana".
A semana passada, o FMI apresentou os resultados da quinta e última avaliação ao desempenho do Governo, no âmbito do Programa de Crédito Alargado, tendo concluído que a economia guineense registou um crescimento de 5,9% com boas perspetivas para o futuro.
"É preciso que faça outro trabalho, mas que não goze com o povo da Guiné-Bissau que se sacrificou tanto para ter a República da Guiné-Bissau", disse Júlio Mendonça.
Rispito.cim/Lusa, 10-04-2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público