sexta-feira, 28 de setembro de 2018

Presidente da Guiné-Bissau afirma que país disse “basta à instabilidade”

O presidente da Guiné-Bissau, José Mario Vaz, destacou esta quinta-feira, dia 27 de Setembro, no debate de alto nível da Assembleia Geral da ONU, os progressos feitos pelo seu país.  Ouvir AQUI

“Os últimos progressos políticos e sociais testemunham de que o povo guineense e as Forças Armadas, junto e mobilizados, disseram basta à instabilidade e rumo ao desenvolvimento.”

Mário Vaz apontou várias ações do último ano que mostram que o país está no bom caminho, como a formação de um governo de inclusão, a reabertura da Assembleia Nacional Popular, a prorrogação do mandato dos deputados, a eleição dos membros da Comissão Nacional de Eleições e, finalmente, a aprovação do Orçamento do Estado.

O presidente guineense falou das eleições legislativas marcadas para 18 de novembro. Segundo ele, o recenseamento eleitoral começou este mês, com algum atraso, devido a razões técnicas e financeiras. 

Mario Vaz também afirmou que “pela primeira vez na história da democracia guineense uma legislatura chegou ao fim, sem interrupções originadas por golpes de Estado e outros incidentes”.

O presidente guineense mencionou as sanções impostas pelo Conselho de Segurança a vários militares guineenses.

“Aproveito esta oportunidade para apelar à comunidade internacional, ao Conselho de Segurança, com prorrogativas exclusivas nesta matéria, em nome da justiça e da concórdia nacional, que sejam levantadas as sanções que foram aplicadas a alguns oficiais das nossas Forças Armadas. Tal decisão, há muito desejada e esperada, ajudaria também na consolidação das instituições democráticas e da paz duradoura no nosso país.”

Mário Vaz lembrou ainda a aprovação de uma quota mínima de 36% para mulheres em todos os cargos elegíveis, dizendo que “está satisfeito e grato” por esse progresso nacional.
Rispito.com/ONU News, 28-09-2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público