sexta-feira, 12 de abril de 2019

INSPETOR DA PJ OUVIDO NO MINISTÉRIO PUBLICO

Image result for inspetor da pj da guine bissau ouvido no ministerio publicoO inspetor da Polícia Judiciária (PJ) da Guiné-Bissau que está a investigar o desaparecimento de grandes quantidades do arroz doado pela China ao país foi  ouvido no Ministério Público, em Bissau, num processo criticado pelos seus advogados. Para o advogado Paulo Semedo, a audição de Fernando Jorge Barreto "é uma autêntica prevaricação à justiça", enquanto para Augusto da Silva, outro causídico que acompanhou o inspetor da PJ, tratou-se de "um espetáculo deprimente", por parte do Ministério Público (MP).
"É lamentável a conduta do Ministério Público, o que demonstra que há uma clara vontade de proteger alguém. Uma tentativa de ocultar a verdade", sobre o desvio do arroz doado pela China, disse Augusto da Silva, também responsável pela Liga Guineense dos Direitos Humanos. Os dois advogados não têm dúvidas de que o MP, ao chamar Fernando Barreto, teve como objetivo parar com as investigações que conduz na Polícia Judiciária "para descoberta da verdade" sobre o desvio do arroz doado pela China à Guiné-Bissau. "Esta é a forma de chamar o meu constituinte para o assustar, para estrangular o processo na PJ para proteger alguém, que nós não sabemos quem é. A mando de quem não sabemos", declarou Paulo Semedo. Augusto da Silva disse ter decidido acompanhar a audiência de Fernando Barreto para avaliar pessoalmente a "lisura do processo", mas daquilo que assistiu chegou a conclusão de que o MP "forjou os documentos" que apresentou para justificar a convocação do inspetor.

O advogado adiantou que o Ministério Público apresentou "autos de proveniência duvidosa" para invocar que seriam documentos das audiências que a PJ tem estado a conduzir nos inquéritos ao desaparecimento do arroz doado pela China. De acordo com os advogados, o Ministério Público não decretou nenhuma medida contra Fernando Barreto. Fernando Barreto esteve no Ministério da Agricultura a ouvir o ministro da Agricultura, Nicolau dos Santos, no âmbito da investigação ao mesmo caso, mas saiu mais cedo para ser ouvido no MP. 
Rispito.com/CM, 12-04-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público