terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Projecto para reduzir a importação de arroz

Image result for Nelvina Barreto guine bissauImage result for Nelvina Barreto guine bissauO Governo guineense, através do ministério da Agricultura e Florestas, dispõe de um novo projecto com vista à redução de importação de arroz em cerca de 80 mil toneladas por ano, poupando assim cerca de vinte milhões de dólares, anualmente, ao Estado.

Trata-se do “Projecto de Apoio às Cadeias de Valor e ao Empreendedorismo Agrícola e Rural (PACVEAR), financiado pelo Banco Africano de desenvolvimento (BAD), num montante de 13 milhões de dólares, para um período de cinco anos e é destinado às regiões de Bafatá, Gabú e Oio.

Na ocasião, a ministra da tutela, Nelvina Barreto, proferiu o discurso que se segue:

Excelência Senhora Secretaria de Estado do Plano e Integração Regional, Representante do Ministro da Economia e Finanças – Governador do BAD;

Excelência Senhor Chefe da Missão do Banco Africano de Desenvolvimento;

Excelências Senhores Embaixadores e Membros do Corpo Diplomatico acreditados na República da Guiné-Bissau;

Excelências Senhores Representantes dos Parceiros de Desenvolvimento e Organizações Internacionais;

Caros Directores Gerais, Directores de Serviços e Tecnicos do Ministério da Agricultura e das Florestas;

Ilustres Governadores das regiões de Bafatá, Gabu e Oio;

Ilustres representantes do sector privado

Ilustres convidados e Populações Beneficiárias das Regiões de Bafata, Gabu e Oio;

Minhas Senhoras e Meus Senhores

E com enorme prazer que em nome do Governo da Guiné-Bissau e do Ministério da Agricultura e Florestas, estou presente neste importante evento de Lançamento Oficial do Projeto de Apoio as Cadeias de Valor e ao Empreendedorismo Agrícola e Rural nas Regiões de Bafata, Gabu e Oio (PACVEAR).

Permitam-me agradecer ao Banco Africano de Desenvolvimento (BAD), pelo trabalho realizado a favor do desenvolvimento sustentável dos Estados-membro traduzido em investimentos em diferentes sectores geradores de crescimento económico e de riqueza e muito particularmente na Guine Bissau.

Gostaria ainda de aproveitar esta oportunidade para exprimir a minha satisfação pelo trabalho realizado pelas equipas do BAD- aqui representado pelo chefe da missão- e do Governo, na preparação e aprovação deste Projeto, testemunhando assim o espírito de colaboração permanentes.

Ilustres Convidados,
Excelências,

Com um montante global de cerca de 13 milhões de dólares americanos, para um período de 5 anos, os objetivos traçados para o presente projeto refletem as prioridades estabelecidas na visão estratégica do Programa Nacional de Investimento Agrário e incidem sobre programas específicos nos subsectores de produção como os cereais, a horticultura,a fruticultura, a produção animal, a construção de infraestruturas rurais, ordenamento hidroagrícola e a gestão dos recursos naturais.

Esta estratégia visa igualmente limitar os efeitos da agricultura itinerante através de um processo de intensificação das culturas e da organização dum sistema agro-alimentar sólido e performante.

Ate 2024 prevê-se que o projeto atinja os seguintes resultados :

ü Ordenamento de 660 hectares de bolanhas de água doce e construção de diques de proteção anti erosão,

ü Ordenamento de 60 hectares de perímetros hortícolas para mulheres e jovens com poços melhorados e motobombas e com sistema solar de irrigação,

ü Reabilitação de 25 km de pistas de acesso,

ü Construção de 8 armazéns de estocagem de 50 toneladas

ü Formação de 110 jovens empreendedores nas regiões de Bafata, Gabu e Oio e de 15 agrupamentos de interesse económico (GIE) femininos no domínio da vaporização de arroz, secagem e transformação de legumes, etc.

O projecto visa igualmente a criação e/ou consolidação de 600 empresas ou empreitadas agrícolas e rurais com vista a promoção de 2000 empregos para jovens e mulheres.

Todas estas ações terão impacto sobre cerca de 35 000 famílias rurais dos quais 40% de agrupamentos femininos, abrangendo um universo de 13.000 mulheres.

Estes objetivos não poderão ser atingidos sem a participação das mulheres e jovens na organização e desenvolvimento do sector produtivo, garantindo-lhes, assim o acesso à formação, ao crédito, e às novas tecnologias.

As mulheres que representam mais de metade da população do nosso Pais, constituem uma grande forca de trabalho na produção, na transformação, e comercialização de alimentos.

Os jovens, pela sua força, pelo dinamismo, pela vontade e capacidade, são outro grupo a privilegiar na abordagem do projeto, proporcionando-lhes oportunidades de autoemprego, através da criação de um ambiente propício, por via de incentivos financeiros e tecnológicos, que favoreça o seu interesse pelo setor agrícola, invertendo a tendência do êxodo rural e apoiando na sua fixação nas zonas rura

Excelências, Minhas Senhoras e Meus Senhores
As grandes orientações políticas seguidas para a realização destes objectivos, visam dar ao sector agrícola a prioridade necessária, a fim de lhe permitir jogar o papel que lhe é reservado e melhorar a produção nacional com vista a redução drástica das importações do arroz em cerca de 80 mil toneladas por ano e poupando assim cerca de 20 milhões de dólares anualmente.

Isto decorre também da responsabilidade dos agricultores de melhor se organizarem, de estabelecerem relações comerciais com o setor privado, por forma a aumentar os seus rendimentos, a garantir a perenidade dos recursos naturais, a diminuição dos riscos técnicos ou tecnológicos e ecológicos e melhorar as suas condições de vida.

O Governo da Guine Bissau trabalha aualmente no sentido de criar um ambiente propício para essa promoção.

Distintos Convidados
Minhas Senhoras e Meus Senhores

O Plano Nacional de Investimento Agrário 2º geração (PNIASAN), implica uma melhor e eficiente racionalização de investimentos necessários para atingirmos os objectivos operacionais seguintes:

ü A diversificação das produções e aumento das exportações agrícolas, e

ü A preservação e gestão duráveis de recursos agro-silvo-pastoris.

O Governo guineense assume o compromisso de criar as condições para o desenvolvimento do sector privado e o aumento da rentabilidade dos sectores da agricultura, floresta, pecuária, pescas, energia sobretudo as energias renováveis.

Neste âmbito, o Ministério da Agricultura e das Florestas pretende lançar um programa nacional de Apoio a Agricultores Lideres, que deverão ser identificados em cada uma das Regiões da Guine Bissau, para beneficiarem de apoio e seguimento a nível da modernização das práticas agrícolas, da mecanização, da formação e ao financiamento como forma de diversificarem e aumentarem os rendimentos dos perímetros cultivados e apoiarem a organização das comunidades rurais ao redor das respetivas propriedades.

Estas ações incluem-se na visão política de uma gestão equilibrada dos recursos naturais e de um quadroinstitucional e regulamentar adequado.

Para terminar, aproveito o ensejo que me é aqui oferecido para saudar todos os parceiros nacionais e internacionais que intervém no sector da agricultura e do desenvolvimento rural, pela sua contribuição e apoio, na definição conceptual, na planificação, no financiamento e acompanhamento para a realização da visão estratégica do Governo da Guine Bissau, em prol do desenvolvimento da agricultura e do bem-estar de toda a população.

Permitam-me ainda, expressar os meus sinceros votos para que este seminário seja um momento de aprendizagem de boas práticas a aplicar na gestão do projeto, que permita a melhoria da governação deste setor tao importante, traduzido na boa execução das atividades e no seu cumprimento no tempo previsto.

Aproveito para exortar os diferentes intervenientes a trabalharem numa perspetiva de coordenação, de complementaridade e sinergia com outras iniciativas e programas em curso na Guine Bissau.

Só assim será possível a erradicação de pobreza, a garantia da segurança e soberania alimentar, assim como a transformação do potencial existente neste importante sector, numa fonte de riqueza e de bem-estar para toda a população da Guine Bissau.

Dou por aberto, o Seminário de Lançamento Oficial do Projecto de Apoio às Cadeias de Valores e ao Empreendedorismo Agrícola e Rural (PACVEAR).

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público