terça-feira, 28 de julho de 2020

PR e líder do parlamento guineenses condenam vandalismos na rádio privada Capital FM

Guinée Bissau : Le président par intérim, Cipriano Cassama jette l ...

A direção da Capital FM indicou aos jornalistas que "homens armados e fardados" com uniformes da polícia guineense, imobilizaram o agente de segurança da rádio.
O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, e o presidente da Assembleia Nacional, Cipriano Cassamá, condenaram esta segunda-feira os atos de vandalismo ocorridos domingo na rádio privada Capital FM em Bissau.

Em declarações separadas no Palácio da Presidência e na sede do parlamento, os dois dirigentes guineenses consideraram ser inaceitável a destruição dos equipamentos de emissão da Capital FM.

O Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló, disse esperar que a Polícia Judiciária apure as responsabilidades, através de um inquérito sobre o sucedido, que frisou não ser normal.

Lamento e condeno, sem reservas, o atentado contra a rádio Capital FM, porque estamos num país de democracia, embora a democracia tenha limites”, observou Sissoco Embaló.

O chefe de Estado guineense afirmou regozijar-se com as condenações do Governo e dos deputados do parlamento ao sucedido, mesmo perante algum excesso que possa ser cometido “por uma ou outra rádio”, disse.

Não é porque uma ou outra rádio se excede nas suas atuações que se pode cometer atos do género, até porque há normas, há ética deontológica”, notou Sissoco Embaló, sublinhando que “não são aceitáveis atos isolados” como a vandalização dos equipamentos da rádio Capital FM.


O presidente do parlamento, Cipriano Cassamá, anunciou que nos próximos dias vai emitir uma resolução parlamentar de condenação aos ataques à rádio dirigida pelo jornalista Lassana Cassamá.

Hoje é com a rádio Capital, amanhã pode ser com a Rádio Nacional ou com outras rádios e nós, enquanto parlamentares, defensores do Estado de direito democrático neste país, não podemos aceitar tais práticas”, defendeu Cipriano Cassamá.

A direção da Capital FM indicou aos jornalistas que “homens armados e fardados” com uniformes da polícia guineense, imobilizaram o agente de segurança da rádio, na madrugada de domingo, entraram e vandalizaram os equipamentos e as instalações da emissora que ficará sem emitir nos próximos tempos.

O diretor da estação, o jornalista Lassana Cassamá, correspondente da Voz de América na Guiné-Bissau, disse à Lusa que ainda está a inventariar os estragos nos equipamentos e no próprio edifício, situado na avenida da Nigéria, no Bairro Militar, nos subúrbios de Bissau.
Rispito.com/Observador, 28-07-2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público