quinta-feira, 14 de janeiro de 2021

Artur Sanha disse que PRS está a decrescer no cenário político nacional

O ex-Secretário-geral do Partido da Renovação Social (PRS), Artur Sanhá afirmou que esta formação
política está em decrescimento no cenário político nacional, devido a falta de visão interpretativa da evolução da conjuntura politica e social.

Em conferência de imprensa, realizada quarta-feira, na sede nacional do partido, no âmbito das celebrações do 29º aniversário dos renovadores que se assinala hoje, 14 de Janeiro, Artur Sanhá afirmou que a efeméride representa um momento oportuno para lançar um apelo à unidade e a tolerância que deve ser assumida por cada formação política ao nível nacional, de forma a favorecer a conjuntura.

“Se não gerimos a actual conjuntura, não acolheremos bons frutos, de igual forma que há cinco anos enveredamos por uma situação que hoje em dia ninguém conseguiu obter bons resultados”, avisou.

Aquele político sublinhou que, se questionamos os resultados do comportamento político e administrativo dos cinco anos atrás, ninguém será capaz de os demonstrar.

Artur Sanhá defendeu a aposta na unidade nacional em detrimento do que considera aventuras em engenharias de fissuras que criam mais divisão, e que tornam mais difícil governar  o país.

“Nunca faltou a chamada de atenção, para que, de novo, não enveredemos pela via que  conduziu o país durante os passados cinco anos. Infelizmente, cada qual confiava no seu entendimento de radicalizar e hoje em dia estamos perante um resultado que nos leva à muitos esforços de gestão”, disse.

Artur Sanhá denunciou a existência de "fissuras, divisão interna, intriga e a falta de seriedade" reinante no partido.

Acusou a actual direcção do partido de ter praticado cancelamentos e manipulações de fóruns dos órgãos internos do partido, com métodos que considera  “graves” para a coesão interna da formação política fundada pelo antigo Chefe de Estado, Kumba Yalá e seus companheiros.

"O clima interno do PRS não é saudável, para sermos francos. Estamos a assistir um certo desleixo e uma falta de seriedade reinante na cúpula do partido, embora tenhamos feito várias chamadas de atenção, mas as pessoas continuaram a não aceitar os nossos apelos", declarou Artur Sanhá.

O também  ministro do Comércio e Indústria no atual executivo, pede a direcção do partido para não cometer erros semelhantes aos que diz terem estado na base da  ruptura entre ele, na altura secretário-geral do partido  e o então presidente do PRS, Koumba Yalá Kobde Nhanca.
Rispito.com/ANG, 14-01-2021


Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público