segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Presidência nega a proposta de militares senegaleses no palácio

Reagindo à suposta intenção do Presidente Umaro Sissoco Embaló colocar no Palácio Presidencial em Bissau militares senegaleses com a missão de garantir a sua segurança, fonte na Presidência desmentiu "categoricamente" a informação.

Segundo a fonte na Presidência a reunião referida de terça-feira, 16 de Fevereiro, em que supostamente teria participado Umaro Sissoco Embaló, o vice-Chefe de Estado-maior das Forças Armadas, Mamadu Turé "N'Krumah", mas tambémo presidente senegalês, através videoconferência, "nunca teve lugar".
A mesma fonte precisou também que o presidente Umaro Sissoco Embaló "reúne frequentemente com as chefias militares, no quadro das suas funções como Comandante Supremo das Forças Armadas", sendo nestas ocasiões abordados "assunto referentes à segurança Nacional".

"Os rumores sobre a ameaça de um golpe de Estado e intenção de uma acção contra o chefe de Estado, continuam a circular, mas o presidente nunca sugeriu que fossem colocados militares senegaleses, ou de qualquer outra nacionalidade, na Presidências da República sublinhou a mesma fonte na Presidencias guineense.
Rispito.com/e-Global, 22-02-2021

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público