sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

PR continua sem saída para findar a crise

A quarta tentativa do dialogo promovido pelo PR para aproximar as partes e de ultrapassar a crise, ainda não surtiu efeito satisfatório. Juntos ou separados, o PR não conseguiu mover as partes. PAIGC, PRS e o grupo dos 15 deputados cada um mantém firme e determinado na sua posição.

Nesta base, José Mário Vaz, convocou um encontro com os representantes da Comunidade Internacional acreditados em Bissau, para uma reunião com carácter de urgência à ter lugar esta tarde no Palácio da Republica.

O encontro com a Comunidade Internacional veio no fracasso do resultado obtidos com as partes desavindas no encontro de diálogo que terminou a instantes, onde o Chefe de Estado manteve encontros separados com as partes desavindas. 

Falando esta sexta-feira à imprensa o Representante da União Africana em Bissau, Ouvido Pequeno, disse “o Presidente da República informou hoje a comunidade internacional que recebeu três propostas concretas vindas do PRS, dos 15 dissidentes do PAIGC e da Sociedade Civil, para apreciarem as mesmas com vista a ultrapassar a crise.”

Para o PRS, o Governo de Carlos Correia não existe. Os renovadores continuam mesmo a exigir a demissão do executivo e o regresso dos 15 ao Parlamento.

O líder do PAIGC indica que uma eventual assinatura de um pacto de regime não iria resolver os problemas e, nunca será solução consistente para ultrapassar o litígio.
DSP, sublinha que o chefe de Estado não deve ceder às pressões de grupos que elegem interesses pessoais em detrimento dos interesses da nação.

Estes posicionamentos rígidos das partes, fazem desta crise de uma decisão difícil na mão do PR e de uma fragilidade extrema de relacionamento, que já mais pode viabilizar uma governação estável nem de um mandato presidencial tranquilo.
Rispito.com/Lai Baldé-Correspondente, 19-02-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público