sexta-feira, 1 de abril de 2016

15 deputados expulsos impedidos entrar na sede da ANP

“Injusto, ilegal e abusiva a postura do impedimento dos 15 deputados nas instalações do parlamento guineense.” Disse o advogado

O grupo de 15 deputados do PAIGC expulsos do partido foram impedidos entrar esta manhã na sede da Assembleia Nacional Popular, cujo vias de acessos reforçadas por um dispositivo de segurança que não permitiu aproximassem do edifício nem para os 15, nem para os homens da imprensa e nem para os visitantes. 

Abel da Silva
Falando sexta-feira à imprensa a frente da casa parlamentar, o advogado do grupo disse o facto põe em causa o normal funcionamento das instituições e substancia para um Estado de anarquia no país, com consequências improvisáveis.

Himilho Ano Mendes, lamenta o fato do Secretario de Estado da Ordem Publica não despachar o documento é sinal negativo que os 15 mantém-se ainda fora das instalações da ANP. 

Abel da Silva porta-voz do coletivo afirma que a justiça está a ser obstruída. Adiantando que não perderam os mandatos. “Nem a plenária da ANP pode fazer nos perder os nossos mandatos, só pelo facto de exercermos os nossos direitos de votos de forma livre e consciente.” Disse  Da silva com garantias de que a luta vai continuar.

Recordamos que 4ª feira, dia 31, o juiz Lassana Casamá da Vara CIvel do Tribunal Regional de Bissau produziu um despacho em que pediu ao Ministério da Administração Interna na implementação da sua decisão colocar dez policiais, junto a sede do parlamento guineense, por forma a acompanharem e assistirem, juntamente com o oficial, a entrada dos 15 deputados expulsados do PAIGC, na casa parlamentar. Advertindo por isso, que fica desde já que qualquer pessoa que tente obstruir a entrada dos mesmos nas instalações da ANP, incorrerá no crime de desobediência previsto e punível nos termos do artigo 239 do Código Penal.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 01-04-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público