segunda-feira, 16 de maio de 2016

Escolha de PM provoca aturados debates e negociações 

Após aturado debate e negociações o PAIGC enviou ao Presidente Mário Vaz a sua proposta da orgânica do novo elenco governamental e o nome do Carlos Correia como candidato a cargo do Primeiro-ministro do futuro Governo de Gestão da Guiné-Bissau.

Os libertadores pretendem fazer a manutenção do nome do PM deposto o veterano Carlos Correia, para chefiar de novo o governo. Apesar de vários nomes que se pairavam no seio do partido com destaque a Califa Seide, Mário Cabral, Manecas dos Santos e Ali Hijaz.  

Uma fonte fidedigna indica que o PR já teria reunido com o PRS e os 15 deputados aguardando apenas a proposta dos libertadores para nomear o PM. Enquanto o PAIGC e a segunda maior força política na oposição (PRS) ainda não se entendem nas negociações quanto à indicação do novo PM e constituição do novo Governo.

Os veteranos da luta da libertação nacional afirmaram que a postura assumida pelo Presidente Mário Vaz em derrubar dois Governos constitucionais do PAIGC, visa essencialmente minar o partido na senda politica e não guerra contra Domingos Simões Pereira.
Desapontados com o comportamento de José Mário Vaz, Manecas dos Santos e o PM deposto Carlos Correia anunciaram que o grupo dos veteranos agendou para uma vigília junto a praça dos Heróis Nacionais para repudiar com veemência aos atitudes do Chefe do Estado.
Os Veteranos da luta da libertação não têm dúvidas que o alvo a abater é o PAIGC. Por isso garantem de mãos dadas lutar para demonstrarem que o PAIGC é o partido vencedor das últimas eleições na Guiné-Bissau.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 16-05-16

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público