quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Mais uma reação da União para a Mudança 

Depois da reação do Movimento da Sociedade Civil, agora é a vez da União para a Mudança a reagir com pedidos de demissão do atual Governo de iniciativa presidencial, uma vez que, conforme a UM, essa figura não existe no ordenamento constitucional da Guiné-Bissau e, por conseguinte, o retorno do poder ao PAIGC, enquanto força política vencedora das últimas eleições legislativas com maioria absoluta.
Agnelo Augusto Regala, Presidente da União para a Mudança que hoje (08/09/16) falava numa conferencia de imprensa, considera de um autêntico golpe de Estado institucional forjado perante manobras  inventadas dos políticos.

Agnelo Regala aponta criação de um pacto parlamentar que define compromissos de todos os atores envolvidos no processo incluindo a presidência da Republica, devendo ser assinado na presença dos Chefes dos Estados indicados pela CEDEAO, para facilitar a busca de uma solução estável e duradoura da presente legislatura.
No que respeita as fontes que para muitos brotam os problemas de coabitação e da convivência saudável, deve-se proceder a revisão da Constituição da Republica e da lei eleitoral, para melhor identificar e clarificar as matérias que provocam interpretação dúbia.

Em fim, Regala insta ao Presidente da Republica a pautar no diálogo, em nome dos superiores interesses da nação que jurou defender e de usar a sua magistratura de influência de forma justa e equitativa entre tudo e todos.
Rispito.com, 08/09/2016



Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público