quarta-feira, 17 de maio de 2017

Comunidade internacional preocupada por falta de aplicação do Acordo de Conacri

Os representantes das organizações internacionais na Guiné-Bissau reuniram-se hoje com o Presidente guineense, José Mário Vaz, a quem manifestaram a sua preocupação pela ausência de progressos na aplicação do Acordo de Conacri.

«Manifestamos a nossa preocupação pela ausência de progressos com vista à implementação do Acordo de Conacri e também na sequência de missão de alto nível da CEDEAO, uma vez que neste quadro tinha sido dado às autoridades nacionais uma recomendação de 30 dias para a solução da situação que se vive na Guiné-Bissau», afirmou Ovídeo Pequeno, representante da União Africana no país, no final do encontro, que falou em nome do p5.

O P5 integra a União Africana, União Europeia, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Nações Unidas e Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Segundo Ovídeo Pequeno, os representantes das organizações internacionais manifestaram também preocupação em relação à preparação das eleições legislativas, previstas para 2018.

«Há etapas importantes a serem levadas a cabo para que as próximas eleições sejam consideradas justas e transparentes. No quadro atual, é evidente que não temos a garantia que isso possa acontecer. Há muito trabalho a ser feito», sublinhou.

No âmbito do encontro, o P5 recomendou também ao Presidente José Mário Vaz para uma encontrar uma "solução conjunta" para o impasse político que vive a Guiné-Bissau, defendendo uma iniciativa de diálogo com todas as partes, incluindo o Partido Africana para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC).

O Acordo de Conacri, patrocinado pela CEDEAO, prevê a formação de um governo consensual integrado por todos os partidos representados no parlamento e a nomeação de um primeiro-ministro de consenso e da confiança do chefe de Estado.

Na última missão realizada a Bissau para avaliar a sua aplicação, a CEDEAO exigiu o total cumprimento do Acordo de Conacri, sob pena de impor sanções a quem esteja a criar obstáculos à sua implementação.
O prazo dado pela CEDEAO para o cumprimento do acordo termina no próximo dia 25.
Rispito.com/Lusa, 17/05/2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público