terça-feira, 20 de junho de 2017

                 

                        COMUNICADO DE IMPRENSA
A  Comissão Política do em portugal, reuniu-se hoje, 19/06/2017, com carácter de urgência, sob a Presidência do Camarada  Rui Pinto Ribeiro, 1º Vice-Presidente.
É com a estupefação que a Comissão Política do PAIGC em Portugal recebeu as informações atravez da comunicação social da detenção do Comandante Manuel Santos “Manecas” figura incontornável na Luta da Libertação Nacional, que merece todo o respeito de todos e cada um de nós.

Para a Comissão Política do PAIGC em Portugal, a detenção do Comandante constitui um escândalo sem precedentes, que não honra nem os mandantes e nem à Guiné-Bissau enquanto Estado de direito democrático.
Assistimos hoje, uma deriva total Presidente da República José Mario Vaz, com a atitude de amedrontar  tudo e todos, por forma a implementar o sonho da ditadura.
A Comissão política do PAIGC, considera este acto de cobarde, vergonhoso e que demonstra de certa forma, a fraqueza do Presidente da República e dos seus entourage.

A Comissão política do PAIGC decide;

Condenar com veemência a detenção do Comandante Manuel Santos “Manecas”, como um acto de total desespero, duma liderança frágil e falhada, movido de Ódio e malvadez.
A Comissão política alerta a todos os militantes e simpatizantes do Partido para estarem atentos e denunciem todos os atos prepectuados pelo actual regime.

Alertar a Comunidades Nacional e internacional e em particular o P5  sobre contornos difícil da crise política, é preciso adoptar medidas urgente para fazer face a situação actual

Exigir a libertação imediata e incondicional do Comandante Manuel Santos “Manecas”
                                                                                 
1º Vice-Presidente
_________________
Dr. Rui Pinto Ribeiro

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público