segunda-feira, 17 de julho de 2017

Guiné-Bissau quer acolher V Congresso da Educação Ambiental da CPLP

A Guiné-Bissau vai candidatar-se para acolher o V Congresso Internacional da Educação Ambiental da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) prevista para 2019, disse nesta segunda-feira aos jornalistas Mário Diassami, deputado guineense.

Mário Diassami, que é também presidente da comissão especializada permanente da Assembleia Nacional Popular da Guiné-Bissau e presidente da rede dos parlamentares para as questões ambientais e desenvolvimento durável, vai apresentar a candidatura do país neste IV congresso, cujos trabalhos começaram hoje na cidade de Santo António, na ilha do Príncipe.

"Estamos aqui igualmente para apresentar a candidatura da Guiné-Bissau para acolher o V congresso, na pátria Amílcar Cabral dos combatentes e pretendemos acolher pelo menos 250 pessoas nas nossas belas ilhas, sobretudo na ilha de Bubaque, no arquipélago dos Bijagós", disse o deputado.

A Guiné-Bissau participa neste IV congresso com 14 delegados e Mário Diassami defende a união de esforços dos países membros da CPLP para a preservação dos recursos naturais.

"Sendo o Príncipe já uma reserva da biosfera, na Guiné-Bissau, nós temos a reserva da biosfera do Bolama, Bijagós que é património mundial o que quer dizer que nós devemos conquistar e levar os nossos países a ocupar alguns lugares cimeiros, partindo desses desafios, desse compromisso de preservar a natureza, preservar os nossos recursos", disse.

Fonte da organização do evento disse à Lusa que sobre a mesa "estão outras duas propostas para acolher o próximo congresso", sem, no entanto, avançar os nomes dos países.

 Segundo a mesma fonte, as propostas vão ser analisadas no dia 19, sendo que "no dia 20 já se saberá que país vai acolher o V congresso da Educação Ambiental da CPLP".
Rispito.com/Lusa, 17-07-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público