segunda-feira, 10 de julho de 2017

Sissoco  afirma que Portugal e Guiné-Bissau estão ligados e são inseparáveis

O Primeiro-ministro guineense, Umaro Sissoco Embaló, afirmou esta segunda-feira, em Bissau, que foi preciso coragem para pedir a renegociação dos acordos de cooperação no âmbito da comunicação social e que Portugal e a Guiné-Bissau estão ligados e são inseparáveis, noticiou a Lusa.

"O nosso ministro da Comunicação Social, Victor Pereira, escreveu cartas a Portugal e esteve em Portugal, onde falou com o seu homólogo. Agora, todo o Estado é soberano, tinha de haver alguém com coragem para pedir a renegociação dos acordos de cooperação", afirmou Umaro Sissoco Embaló.
O Primeiro-ministro guineense falava no aeroporto Osvaldo Vieira, em Bissau, antes de partir para Addis Abeba, Etiópia, para participar numa reunião do Conselho de paz e segurança da União Africana.
"Não é a RDP que nos liga a Portugal. A nossa ligação ultrapassa as pessoas. Estamos ligados, não há como nos separarmos um do outro", disse.

O chefe do Governo guineense afirmou também que de Addis Abeba vai viajar para Portugal para uma visita privada, tendo já feito contactos com as autoridades portuguesas, porque a Guiné-Bissau e Portugal são "países irmãos".
"Se tivesse algum problema com Portugal não ia lá, até porque os meus filhos são todos portugueses", sublinhou, acrescentando que estudou em Portugal desde o 12.º ano e que conhece o "António Costa (primeiro-ministro português) melhor do que qualquer outro guineense".

A 30 de Junho, Víctor Pereira anunciou a suspensão da RTP, RDP e da agência Lusa a partir das 00:h00 de 01 deste mês, alegando a caducidade do protocolo assinado em 31 de Outubro de 1997.O ministro acabaria, porém, por excluir a Lusa da suspensão das actividades.
A 01 de Julho, o ministro guineense convocou uma nova conferência de imprensa em que justificou que a decisão de suspensão das actividades da rádio e televisão pública de Portugal no país não eram "uma questão política, mas apenas técnica".

A Guiné-Bissau tem vivido uma situação de crise institucional desde as últimas eleições, com um afastamento entre o partido vencedor das legislativas e o Presidente da República, também eleito.
Rispito.com/Lusa, 10-07-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público