terça-feira, 31 de outubro de 2017

Associação de defesa do consumidor denuncia venda de produtos fora do prazo

Associação de Defesa do Consumidor de Bens e Serviços (Acobes) da Guiné-Bissau denunciou  a venda no país de produtos fora do prazo ou sem indicações de prazo de validade.
A denúncia foi feita pelo secretário-geral da Acobes, Bambo Sanhá, que pediu a intervenção urgente da inspeção-geral do Ministério do Comércio.
Bambo Sanhá acrescentou que à Acobes têm chegado, ultimamente, várias denúncias de casos de produtos fora do prazo, alguns danificados, outros sem indicações de prazo de validade, mas que continuam a ser comercializados principalmente nos mercados de Bissau, disse.
O secretário-geral da Acobes deu como exemplo a farinha de trigo e a manteiga de uma determinada marca importada que disse estarem "há muito fora do prazo de validade" ao ponto de alguns estabelecimentos comerciais estarem a retirar os dois produtos das prateleiras devido aos protestos dos clientes.
Bambo Sanhá indicou que a sua organização entregou algumas amostras dos dois produtos a inspeção-geral do Ministério do Comércio de quem espera agora medidas para ordenar a retirada total desses produtos do mercado.
Recentemente circularam informações que indicavam a existência no mercado guineense de "arroz de plástico".
Bambo Sanhá alertou ainda os consumidores para aquilo que considera de "produtos duvidosos" que não apresentam informações sobre a data em que foram produzidos e nem o prazo de validade para o consumo humano.
Lamentou ainda o facto de a Acobes denunciar a existência de "várias irregularidades no mercado" sem que haja resposta das autoridades. E finaliza dizer que mesmo assim a sua organização não vai parar e pede aos consumidores que apresentem todas as suspeitas ou informações de produtos ou serviços que denotem irregularidades.
O secretário-geral da Acobes diz ainda ser triste que passados mais de 40 anos desde a independência, o país ainda não possuir um laboratório de controlo de qualidade de produtos, o que disse "prejudica enormemente" a saúde da população.
Rispito.com/Lusa. 31-10-2017

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público