segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Guardas prisionais iniciam greve de cinco dias

Image result for guardas prisionais de guine bissauOs guardas prisionais da Guiné-Bissau iniciaram nesta segunda-feira uma greve de cinco dias para reivindicar melhor enquadramento legal da profissão e ainda melhoria de condições nos centros de detenção, afirmou o presidente do sindicato da classe, Lazaldo da Silva.

Desde 2011 que os guardas dos três centros de detenção da Guiné-Bissau (Bandim, Mansoa e Bafatá) estão a exigir aos sucessivos governos que a sua nomeação seja publicada no Boletim Oficial (equivalente ao Diário da República), mas sem sucesso, precisou o sindicalista.

Lazaldo da Silva adiantou ainda que a greve é uma forma de reivindicar os mesmos salários que recebem os auxiliares de justiça.

Durante os cinco dias de greve, entre segunda e sexta-feira, os três centros prisionais que albergam, no total, pelo menos 200 reclusos, terão, cada um, dois guardas para garantir os serviços mínimos.

Lazaldo da Silva precisou também que a greve serve como chamada de atenção do Governo pelas péssimas condições nos três centros penitenciários, onde, disse, que os presos dormem no soalho, tomam banho, às vezes, com água apanhada no poço pelos próprios guardas prisionais, enfatizou.

O responsável destacou ainda que os guardas estão sem fardamento adequado e que os três centros não têm as condições de segurança exigidas, nomeadamente muro de vedação.

O sindicalista sublinhou que os guardas aceitam aquelas condições de trabalho por amor à profissão, mas que de agora em diante querem "uma resposta clara" do Governo, com o qual estão a negociar as reivindicações, caso contrário, afirmou, a greve será mantida até ao fim.
Rispito.com/Lusa, 08-01-2018

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público