quinta-feira, 26 de abril de 2018

JOSÉ MÁRIO VAZ EMPOSSA GONERNO PELA SÉTIMA VEZ EM TRÊS ANOS

Na mais um discurso de José Mário Vaz em tomada de posse, o PR lança repto ao novo executivo de que o objectivo fundamental é de  criar condições para a realização das eleições legislativas justas e transparentes; 
Garantir energia elétrica para todos;
Educação e Saúde para todos;
Trabalhar para o sucesso da campanha da castanha de cajú do corrente ano;
Arroz – comida na mesa para todas as famílias guineenses; 


No passado dia 23 de Abril de 2018 fizemos história, pois celebramos a democracia no seu pleno, com o fim de uma Legislatura completa, sem interrupções, sem mortes, sem violência, sem golpe de estado, sem lágrimas daqueles que outrora sofreram e viveram sobressaltados, com noites longas e incertezas do dia seguinte. 

Por outro lado, deveremos realçar que as liberdades, que foram conquistas democráticas pelo nosso povo, designadamente, as liberdades de expressão, de manifestação e de imprensa, devem ser preservadas e protegidas.

Todos devem poder exprimir-se livremente, exporem as suas opiniões, sem serem incomodados. O contraditório é saudável na justa medida em que discordar não significa insultar e pôr em causa a dignidade da pessoa com quem não concordamos – Contudo, a dignidade pessoal e institucional devem ser garantida e respeitada.
A Guiné-Bissau entrou numa nova era e por isso, hoje celebramos a vitória de todos os Guineenses. 

Quero deixar uma palavra de apreço às mulheres e homens que integram as nossas forças de Defesa e Segurança, bem como a força da ECOMIB que têm trabalhado para garantir a paz em conjunto com todos os guineenses que se afastaram das crelas políticas. Ao longo destes quatro anos, houve muitas divergências políticas, e fizemos um grande exercício democrático em que cada um se posicionou de acordo com a sua visão, mas o importante é que devemos continuar sempre juntos e a trabalhar para a paz e estabilidade do nosso país. 

País este, que nos viu nascer e que, a conquista da sua independência obriga-nos a revisitar algumas passagens da construção da nossa identidade enquanto Nação, com valorosos homens e mulheres que deram sangue e suor pela nossa pátria. Hoje a nossa conquista é feita de outra forma.

De 2014 até a presente data, todas as crianças que nasceram neste período, não tiveram e não terão memorias de tristezas no olhar dos seus pais e dos familiares sem se aperceberem o que se passa com uma estranha agitação inexplicável ou traumas de barulho dos tiros. 

Durante o meu mandato, tenho dito com orgulho, basta de prisões arbitrarias, o povo vive pacificamente à margem das disputas partidárias, ninguém foi morto, preso ou torturado por razões políticas, não temos crianças órfãs ou viúvas por questões políticas. 

Queiramos ou não o nosso país mudou nestes quatro anos e faço um apelo a todos os presentes e a população em geral para que continuemos a trabalhar juntos de modo a consolidar estes ganhos de hoje para um futuro melhor para todos. 

Minhas Senhoras e Meus Senhoras
Caros Membros do Governo, 

As vicissitudes da vida política nacional levaram a tomada de decisões difíceis, mas em Lomé, durante a última Conferência dos Chefes de Estado e do Governo da CEDEAO, os actores políticos Guineenses deram um sinal claro de que ainda queriam salvar esta legislatura e renovar a confiança e a esperança que os guineenses depositaram em nós, enquanto políticos e dirigentes deste país. 

Alias, como tenho dito o Guineense quando quer faz, hoje temos um Primeiro-Ministro de consenso e um Governo de inclusão, renovo a minha esperança nesta nova equipa e peço igualmente aos guineenses que depositem a confiança na figura do atual Chefe do Governo Dr. Aristides Gomes, bem como toda a equipa governamental.

Juntos e unidos seremos mais fortes em prol do bem comum que é o nosso povo e estamos prontos para reconstruir o nosso país e reatar os laços que se quebraram ao longo destes últimos anos. 

Temos a consciência de que não foi fácil esta aproximação das partes, talvez tenham havido algumas dificuldades na formação desta equipa governamental. Senhor Primeiro-Ministro esta de parabéns, como o senhor tem dito nas suas declarações, temos hoje uma equipa de futebol e para muitos pode não ser o governo que consideram ideal, mais foi o possível, emanada pelo espírito de irmandade. 

Com o Primeiro-Ministro de consenso e governo de inclusão, demostramos ao mundo que somos capazes de respeitar os esforços de ajuda de vários intervenientes e aconselhamentos de amigos da Guiné-Bissau. Mais uma vez mulheres e homens guineenses demonstraram a sua maturidade colocando o interesse do país acima de qualquer ambição pessoal e honraram os seus compromissos e acordos assumidos. 

Por isso, considero hoje um dia especial para a Guiné-Bissau e para os guineenses, os irmãos voltaram a dar as mãos e deixaram de lado as diferenças do passado “pa nô uni, pa nô mama’. 

A prova disso é a presença, nesta sala, dos representantes da grande família política guineense, através dos seus respectivos Presidentes e em especial a representação dos partidos políticos com assento parlamentar nesta cerimónia da tomada de posse do Governo que conta com o apoio maioritário dos Partidos Políticos, dos Deputados da Nação, dos Lideres Religiosos, da Aliança das Organizações da Sociedade Civil, das Mulheres Facilitadoras do Dialogo, dos Parceiros de desenvolvimento, designadamente a Comunidade dos Estados da África Ocidental. 

Estou convicto, que a nova equipa governamental, liderada pelo Senhor Primeiro-Ministro, Dr. Aristides Gomes, saberá gerir e conduzir a bom porto os destinos do país, com transparência e zelo pela coisa pública.

Devo lembrar ao Senhor Primeiro-Ministro e toda a equipa governamental, de que governar é pensar no bem-estar de todos, e este governo terá como principal missão a criação de condições para a realização das eleições legislativas, justas e transparentes que terá lugar à 18 de Novembro do corrente ano. 

Senhor Primeiro-Ministro,

Senhoras e Senhores Membros do Governo,

A confiança depositada neste Governo, deve ser encarada como uma missão de trabalho e de resultados concretos.

A governação é prestação de serviço público. Ser nomeado membro do Governo deve deixar de ser considerado um privilégio, ou um lugar de conforto e visibilidade, para ser encarrado com uma missão patriótica de servir o nosso povo e dar mais do que receber. 

Senhor Primeiro-Ministro,

Senhoras e Senhores Membros do Governo,

Dispõem de apenas 7 meses até a data das próximas eleições legislativas. Mas, apesar do escasso tempo disponível, ainda temos tempo para trabalharmos juntos com a missão e desafios imediatos e um calendário temporal que não para de contar, pois os dias passam rapidamente.
Mais do que tudo, este Governo tem de ser realista e concentrar toda a sua energia e recursos no trabalho afim de melhorar as condições de vida dos guineenses, ou seja:

Criar condições para a realização das eleições legislativas justas e transparentes;

Garantir energia elétrica para todos; 

Educação e Saúde para todos; 

Trabalhar para o sucesso da campanha da castanha de cajú do corrente ano;

Arroz – comida na mesa para todas as famílias guineenses; 

Devemos continuar a trabalhar sob os lemas "Mon-na-Lama", Dinheiro de Estado no Cofre de Estado e Terra Ranka, para que possamos implementar projectos prioritários com os nossos próprios recursos, tendo em vista a melhoria das condições de vida do nosso povo. 

É importante manter o rigor, a disciplina e o estado saudável da nossa economia, de modo a preservar os ganhos conquistados na gestão das nossas finanças públicas. Enfim, dar continuidade do trabalho efectuado pelo anterior governo.

Senhores Membros do Governo
Distintos Convidados
Minhas Senhoras e Meus Senhores,
Para terminar, quero agradecer aos membros do governo cessante, bem como à todos os que serviram o país e ao nosso povo e por razões várias não puderam fazer parte deste governo. 

Um especial agradecimento ao ex-Primeiro Ministro Eng.º Artur Silva um dos grandes quadros nacionais e com experiência politica comprovada, mas tendo em conta a conjuntura politica não conseguiu formar governo e apesar de todos os esforços realizados e de forma incansável fez de tudo que esteve ao seu alcance para melhor servir ao país. Por isso, em nome do povo guineense e em meu nome próprio o nosso muito obrigado. 

Gostaria de agradecer a presença de todos nesta cerimónia de tomada de posse do novo Governo. E desejar ao Senhor Primeiro-Ministro Dr. Aristides Gomes e ao novo elenco governamental, muitos êxitos. 

E deixo aqui expressa a minha total disponibilidade em utilizar a minha magistratura para apoiar o bom desempenho deste Executivo, em prol do desenvolvimento nacional e para benefício de todos os guineenses.
Não poderia terminar, sem antes deixar o reconhecimento de gratidão em nome do povo guineense e em meu nome próprio a todos quanto nos apoiaram durante esta crise político-institucional. 
O nosso muito obrigado!
Que Deus abençoe a Guiné-Bissau e ao seu povo.”

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público