quarta-feira, 1 de agosto de 2018

MADEM-G15 legalizado pelo Supremo Tribunal de Justiça

O Supremo Tribunal de Justiça da Guiné-Bissau aprovou o processo de legalização do
Movimento de Alternância Democrática ( MADEM-G15), engrossando a fileira 46 das legalizões das formações politicas do país.
MADEM-G15  é um movimento político constituído por dissidentes do PAIGC  liderado por Braima Camará e mais seis vice-presidentes, entre os quais, Umaro Sissoco Embaló, antigo primeiro-ministro como quarta figura do movimento, cujo os documentos de legalização foram aprovados formalmente no Supremo Tribunal de Justiça (STJ) de acordo com divulgação noticiada em Bissau.
Além da coordenação nacional, o MADEM ainda conta com um conselho nacional (órgão deliberativo máximo entre congressos) composto por 415 membros efetivos e 61 suplentes, uma comissão política nacional integrada por 115 membros efetivos e 17 suplentes e um conselho de direito composto por nove membros.
Entre outras estruturas, o novo movimento vai contar com organizações da juventude, das mulheres e da diáspora. Os estatutos ainda ditam que o MADEM "assuma de forma legal atuando como um partido político", com objectivo de promover "Unidade, Justiça e Progresso". Onde o coordenador é o cabeça de lista às eleições legislativas e em caso de vitória eleitoral seja ele o primeiro-ministro e/ou caso o movimento for convidado a indigitar aquela figura.


Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público