quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

Professores de Bissau regressam às escolassem comparência de alunos

A imagem pode conter: casa, automóvel e ar livreOs professores das principais escolas secundárias de Bissau, capital da Guiné-Bissau, regressaram hoje às aulas, depois de quase três meses de greve, mas sem a presença dos alunos, que têm reclamado o início do ano escolar.

Nos principais liceus da capital guineense, que hoje iniciaram o segundo período do ano letivo, visitados pela Lusa foi possível ver a presença dos professores, mas as salas de aula estavam completamente vazias, apesar de pais e alunos terem sido informados que as aulas começavam hoje.

O "ministro da Educação deu orientações para começar as aulas a 03 de janeiro" e "nós criámos todas as condições, sobretudo, mandamos informar os professores e emitimos comunicados para os alunos e encarregados de educação, apelando para deixar os filhos virem às aulas", disse o diretor da maior escola secundária de Bissau, o liceu Kwame N'Krumah, João Imbalá.

Na escola secundária Agostinho Neto, o cenário era idêntico. Professores a aguardarem pelos alunos para dar início às aulas.

"Os alunos não compareceram. O nosso medo era que os professores não comparecessem em número suficiente para iniciarmos as aulas, mas, pelo contrário, temos número suficiente de professores", afirmou o diretor do liceu Agostinho Neto, Samuel Mango.

Questionado pela Lusa se a ausência de alunos se deve ao fato de os sindicatos representativos dos professores terem entregado um novo pré-aviso de greve a partir de segunda-feira, o diretor Samuel Mango disse que os professores que hoje se apresentaram ao serviço não vão fazer greve.

Esse é o caso de João Tianta que hoje e sexta-feira vai trabalhar, porque não há greve.

"Estamos aqui para cumprir a nossa obrigação", disse o professor.

Mas, segunda-feira, há professores que regressam à greve, que vai prolongar-se até ao final do mês de janeiro.

Os sindicatos reivindicam o pagamento de salários a professores contratados referentes ao ano letivo de 2016/2017 e a conclusão do pagamento de salários aos professores novos.
Rispito.com/Lusa, 03-01-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público