sábado, 23 de fevereiro de 2019

Boletins de voto para legislativas chegaram a Bissau

A imagem pode conter: uma ou mais pessoasOs boletins de voto para as eleições legislativas de 10 de março na Guiné-Bissau, feitos em Portugal, chegaram ao país e vão ser entregues às autoridades guineenses pelo embaixador português em Bissau, António Alves de Carvalho.

O apoio de Portugal às eleições legislativas na Guiné-Bissau inclui, além dos boletins de voto, as atas constitutivas, atas síntese, atas de apuramento, listas próprias dos votantes, minutas de protesto e reclamação, folhas de descarga dos votos e carimbos, segundo um comunicado enviado à imprensa pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

O donativo de Portugal é feito no âmbito dos esforços internacionais concretizados para o Fundo Comum de Apoio ao Ciclo Eleitoral, gerido pelo PNUD.

Para o fundo já contribuíram a agência das Nações Unidas, a União Europeia, a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental, a União Económica e Monetária da África Ocidental, Angola, Estados Unidos, Itália, Nigéria, Japão e Guiné Equatorial, bem como o Governo guineense.

Mais de 761 mil eleitores foram registados para as eleições legislativas de 10 de março, que vão ser disputadas por 21 partidos.
A campanha eleitoral decorre até 08 de março.

951.516 boletins de voto 
6.400 atas constitutivas 
64.000 atas de sínteses 
6.400 atas de apuramento
6.400 listas próprias de votantes 
64.000 minutas de protestos/reclamações 
6.400 folhas de descarga de votos obtidos 
6.400 folhas de descarga de votos obtidos por sexo 
3.500 Carimbos para mesas de voto
Rispito.com/Lusa, 23-02-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público