quarta-feira, 17 de abril de 2019

Caso de alegada feitiçaria leva condenação de duas pessoas

Nenhuma descrição de foto disponível.
Dois guineenses condenados a 19 anos de prisão por assassínio em caso de alegada feitiçaria

O Tribunal Regional de Bissau condenou hoje dois homens a 19 anos de prisão pelo assassínio de um homem a quem acusaram de feitiçaria, no âmbito do denominado "Caso Biombo", disse fonte judicial.

Em setembro, a Polícia Judiciária da Guiné-Bissau deteve 12 pessoas por alegado envolvimento num ataque a uma família na região de Biombo, que culminou com a morte de um homem por esquartejamento, violação de uma mulher e espancamento de várias pessoas, incluindo crianças com idades de um a quatro anos.

Segundo a mesma fonte, as restantes 10 pessoas que estavam a ser julgadas foram absolvidas do crime de homicídio.

O tribunal determinou também o pagamento de 20 milhões de francos cfa (30.500 euros) de indemnização à família da vítima mortal, de cinco milhões de francos cfa (7.600 euros) por ofensas corporais e de dois milhões de francos cfa (3.000 euros) à mulher vítima de violação.

Segundo o presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Augusto da Silva, cerca de 20 pessoas morreram nos últimos 12 meses acusadas de prática de feitiçaria em diferentes regiões do interior da Guiné-Bissau.
As regiões de Quinará, no sul, Biombo no nordeste e Bissorã e São Domingos, no norte, são as zonas de onde a Liga tem recebido denúncias recorrentes de casos de mortes ligadas com acusações de prática de feitiçaria.
Rispito.com/Lusa, 17-04-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público