quinta-feira, 13 de junho de 2019

Mulheres pedem a deputados para criarem ambiente de paz e estabilidade

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé, multidão, casamento e ar livreDezenas de mulheres guineenses, vestidas de branco, deslocaram-se ao parlamento da Guiné-Bissau, em Bissau, para pedir aos deputados um ambiente de paz e estabilidade.

"O objetivo é precisamente alertar a comunidade nacional e internacional que as mulheres guineenses estão preocupadas e cansadas com esta situação e é urgente que criem um ambiente de paz e estabilidade", afirmou Francisca Vaz, do grupo das Mulheres Facilitadoras do Diálogo.

O parlamento da Guiné-Bissau foi na terça-feira palco de momentos de tensão, com os deputados do Madem-G15 e do Partido de Renovação Social (PRS) a levantarem-se e a ocuparem a mesa da Assembleia Nacional Popular (ANP).

A comissão permanente do parlamento marcou o início da segunda sessão ordinária da ANP para terça-feira, mas aquelas duas forças políticas entendem que ainda não terminou a primeira sessão, que teve início a 18 de Abril com a tomada de posse dos novos deputados e que terminou com um impasse para a eleição do segundo vice-presidente do parlamento.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e ar livreO Madem-G15 indicou o nome do seu coordenador nacional, Braima Camará, mas foi duas vezes chumbado pela maioria dos deputados e o partido recusa avançar com outro candidatura, enquanto o PRS entende que tem direito ao cargo do primeiro secretário da mesa.

"A violência e a força não são aliadas da democracia e viemos pedir, não exigir, aos nossos deputados, que sejam compreensivos e que cheguem a um entendimento o mais rapidamente possível para sair desta situação", disse Francisca Vaz.

Francisca Vaz salientou, contudo, que a indigitação do futuro primeiro-ministro e consequente nomeação do Governo não depende da situação na Assembleia Nacional Popular.

Mais de três meses depois das eleições legislativas, realizadas a 10 de março, o presidente guineense, José Mário Vaz, continua sem nomear o primeiro-ministro e o Governo, alegando o impasse para a eleição da mesa da Assembleia Nacional Popular. 
Rispito.com/Lusa, 13-06-2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público