quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Governo da Guiné-Bissau assegura ter tudo sob controlo

Pouco depois da denúncia de tentativa de golpe de Estado, Governo garante ter a situação sob controlo. Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas espera que as presidenciais tenham lugar na data marcada.

Mauro Vieira, o presidente da Configuração para a Guiné-Bissau da Comissão de Consolidação da Paz das Nações Unidas, não comenta as notícias sobre a alegada tentativa de golpe de Estado. Espera apenas que nada ponha em causa a realização das eleições presidenciais, marcadas para 24 de Novembro.

"Confio na sabedoria política do povo da Guiné-Bissau, das autoridades, dos poderes constituídos e tenho certeza que é uma sociedade pacífica, tranquila, em que todos circulam livremente, e tenho confiança de que nada interferirá neste processo. É muito importante que aconteça", afirmou Mauro Vieira.

O diplomata brasileiro encontrou-se esta quarta-feira (23.10) com o Presidente guineense, José Mário Vaz. Antes, o chefe de Estado reuniu-se com as chefias militares e representantes do chamado P5 (Nações Unidas, União Europeia, União Africana, CEDEAO e CPLP). À saída do encontro com José Mário Vaz, os militares não falaram, e o habitual porta-voz do P5, Ovídeo Pequeno, também recusou prestar declarações à imprensa.

Na segunda-feira à noite, o primeiro-ministro guineense denunciou no Facebook uma alegada tentativa de golpe de Estado. Aristides Gomes acusou Umaro Sissoco Embaló, antigo primeiro-ministro e candidato presidencial do Movimento para Alternância Democrática (MADEM-G15), de estar envolvido, supostamente para travar as eleições presidenciais.

Tanto Sissoco Embaló, como o MADEM-G15 rejeitam as acusações do primeiro-ministro, tendo o candidato presidencial acusado Aristides Gomes de querer desviar a atenção dos guineenses.

Na terça-feira, o Governo mandou reforçar a segurança na capital, Bissau. Armando Mango, porta-voz do Executivo, garante que a situação está sob controlo: "Queremos assegurar a população que aqui pode-se viver e que não há nada", disse.

Segundo a Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO), o contingente da sua força de interposição no país, a ECOMIB, será reforçado face à realização das eleições presidenciais, em Novembro.
Rispito.com/DW, 24/10/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público