quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Guiné-Bissau é o único país lusófono que melhora posição no Doing Business 2020

A Guiné-Bissau foi o único país lusófono a melhorar a posição no índice do Banco Mundial sobre a facilidade de fazer negócios (Doing Business 2020), com São Tomé e Príncipe a manter a posição, enquanto os restantes pioraram.

De acordo com o índice, divulgado hoje pelo Banco Mundial, a Guiné-Bissau melhorou uma posição face à classificação do ano passado, passando de 175º para 174º, ficando, no entanto, nos 20 países onde é mais difícil fazer negócios.

A nível mundial, a lista é liderada pela Nova Zelândia, seguida da Dinamarca, mantendo as posições do ano passado, com a diferença de que este ano a Dinamarca superou Hong Kong e chegou ao pódio dos países onde o ambiente empresarial é mais propício à realização de negócios.

Entre os países lusófonos, Portugal lidera a lista, ocupando o 39º lugar, tendo caído 5 posições este ano, apesar de manter os mesmos 76,5 pontos, atribuídos recorrendo à análise de vários indicadores, como o tempo de constituição de uma empresa, a facilidade de garantir eletricidade, o lançamento de reformas económicas ou o tempo que as empresas demoram, em média, a preencher as declarações fiscais.

Depois de Portugal, o mais bem colocado, o Brasil, surge em 124º lugar, tendo piorado 16 posições face ao 109º lugar que ocupava no ano passado, e a seguir o país lusófono onde é mais fácil fazer negócios é Cabo Verde, que ainda assim piorou seis lugares, de 131º para 137º.

Logo a seguir surge Moçambique, em 138º lugar, o que compara com a 135ª posição que ocupava no ano passado.

Os restantes países lusófonos estão todos entre os 20 piores, com exceção de São Tomé e Príncipe, que ocupa a 21ª pior posição, em 170º lugar (igual ao ano passado).

Angola, no 177º posto (173º em 2019), a Guiné Equatorial, que piorou de 177º para 178º e Timor-Leste, o único lusófono entre os dez países mais difíceis para fazer negócios, em 181º lugar (178º em 2019) completam a lista dos países de língua oficial portuguesa
Rispito.com/Lusa, 24/10/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público