terça-feira, 17 de dezembro de 2019

ORAÇÃO ECUMENICA E INTER-RELIGIOSA PELA PAZ NA GUINÉ-BISSAU

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas a sorrir, pessoas sentadas e interioresNa quinta-feira, dia 12 de dezembro, teve lugar em Empada, Sul da Guiné-Bissau e da Diocese de Bafatá, a oração ecuménica e Inter-religiosa pela paz e pelo bom decorrer do processo eleitoral da segunda volta da eleições presidenciais, a terem lugar no domingo, dia 29 de dezembro. O momento de oração, dentro do recinto do Liceu Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, além dos líderes religiosos, envolveu alunos, professores e várias pessoas de fé, empenhadas no bem da Guiné-Bissau.

Todos os anos, em torno do Dia Mundial da Paz, celebrado no dia 01 de janeiro, católicos, evangélicos e muçulmanos da Guiné-Bissau, reúnem-se para refletir sobre a paz e sobretudo, pedir ao Senhor este dom tão precioso. Neste ano, a comunidade Católica de Empada, juntamente com as comunidades Evangelica e Muçulmana, acharam por bem antecipar este momento de oração conjunta pela paz, pelos seguintes motivos: a situação sociopolitica e religiosa que o país está a viver, com muitas dificuldades e com níveis de pobreza acentuados; o que se ouve nas rádios, se vê na televisão, se lê nos jornais e redes sociais fazem com que a populaçao viva num clima de profunda tensão e sob o risco de divisão fomentado pela linguagem corrente; a primeira volta das eleições presidenciais do dia 24 de novembro e a segunda volta marcada para dia 29 deste mes de dezembro, estão carregadas de esperança, mas tambem das normais e das forjadas tensões.
O momento de oração ecuménica e inter-religiosa pela paz, deste dia 12 de dezembro, foi marcado por uma boa animação cultural e religiosa, discursos e exortações. Depois de entoar o Hino Nacional, símbolo da unidade Nacional, Pe. Augusto Mutina Tamba, pároco da Paróquia Nossa Senhora Consolata, deu boas vindas a todos os presentes e agradeceu a participação e colaboração de todos os que facilitaram a realização deste dia importante e historico para cidade de Empada.
Nas intervenções, os líderes religiosos da Guiné-Bissau apelaram a todos os guineenses a rezarem pela paz e pela unidade nacional, condições básicas para o desenvolvimento socioeconómico do país. Na sua intervenção o Aladje Ustas Abubacar, Imame da Mesquita Central de Mansoa e igualmente Presidente da Associação dos Imames da Guiné Bissau, elogiou a oportunidade do evento realizado no Liceu Dom Settimio Arturo Ferrazzetta, o primeiro bispo da Guiné-Bissau, uma figura de referência para a paz e a unidade do País. Convidou os guineenses a seguirem o legado do grande bispo. Exortou à classe política a abster-se da linguagem que não abona para a paz e tranquilidade, sublinhando ter ouvido muitos discursos com tendências divisionistas: segunda volta das presidenciais, marcada para dia 29, vai ser disputada entre Domingos Simões Pereira, que é católico, e Umaro Sissoco Embaló, muçulmano. "Os dois candidatos representam duas religiões, mas têm a responsabilidade de manter o país unido e coeso. Neste momento o coração dos guineenses está dividido por causa do apoio aos dois candidatos", defendeu o imã Bubacar Djaló. "Mas é da responsabilidade destes dois candidatos preservar duas coisas na sua ação de mobilização: Tolerância entre os guineenses e convivência religiosa", sublinhou o líder muçulmano: "Ninguém é mais importante que a Guiné-Bissau", observou o imã Djaló, exortando, por outro lado, os chefes religiosos a manterem-se afastadas do jogo político, ainda que não deixem de exercer o seu direito de voto enquanto cidadão. Uma outra autoridade muçulmana usatas Malam Camará recordou que nos bilhetes de identidade não está escrito a religião a que a pessoa pertence e muito menos o seu partido político. Ao invés, disse ele, “está escrito que aquela pessoa é natural da Guiné-Bissau, é guineense, filha de uma terra que lutou muito pela sua independência e que continua a lutar por dias melhores para o seu povo”.
Dom Pedro Carlos Zilli, Bispo de Bafatá, evidenciou a Mensagem, de 31 de outubro, dos Lideres Religiosos da Guiné-Bissau por ocasião das eleições presidências de 24 de novembro de 2019. Sublinhou as palavras finais da referida Mensagem: “que Deus nos abençoe, abençoe a nossa jovem democracia e nos guarde na paz interior e social”.
A partir da convicção de que “somos todos guineenses e somos um só povo; que temos um único Deus Criador de todos”, os líderes, juntamente com todos os participantes, rezaram a “Oração Inter-Religiosa, eleições presidenciais 2019”. Nesta oração, entre outras coisas, pede-se ao Senhor que, nestas eleições, nos dê sabedoria para que saibamos escolher o presidente que Ele conhece melhor do que nós e que possa bem nos representar.
O evento contou com as presenças de Dom Pedro Carlos Zilli, Bispo de Bafatá; Ustas Abubacar, Presidente dos Imames da Guiné Bissau, Aladje Queluntam Coté, Imame da mesquita Central de Empada, Ustas Malam Camará Imame de Farancunda, todos os imames de Empada, Caur de Cima, Madina de Cima, Caur de Baixo, Farancunda, Missira, Batambali, Daressalam, Budoco e Madina de Baixo; Pastor Antoninho Có da Igreja Evangélica de Empada; Baio Indjai, Administrador de Empada.
Rispito.com/AC, 17/12/2019

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público