sexta-feira, 15 de maio de 2020

Conflito por posse de terras na Guiné-Bissau provoca duas mortes

FÁTIMA CRISTINA LEISTER UM PREFÁCIO A POVOS DA GUINÉ-BISSAU: o ...Um conflito pela posse da terra entre duas comunidades no noroeste da Guiné-Bissau resultou na morte de dois homens, de 20 e 28 anos, revelou hoje, em comunicado, a organização não-governamental (ONG) Liga Guineense dos Direitos Humanos.
Oconflito entre populares das aldeias de Cufongo e Bijimita, nos arredores da estância balnear de Quinhamel, na quarta-feira, resultou em confrontos físicos, tendo um homem disparado uma arma de fogo de fabrico artesanal.
Os disparos provocaram a morte de um jovem de 20 anos no local. A outra vítima, de 28 anos, acabou por morrer já no hospital em Bissau, relatou a Liga Guineense dos Direitos Humanos.

O conflito ocorreu devido às disputas entre as duas comunidades pela posse de um campo de plantações de caju - principal produto agrícola e de exportação dos guineenses.
"A Liga lamenta profundamente este triste acontecimento e apela ao Ministério Público a abertura de um inquérito urgente, tendente à identificação e consequente tradução à justiça dos autores morais e materiais destes atos hediondos", referiu a ONG na sua nota.
Os presumíveis autores do incidente "continuam a monte", referiu a Liga Guineense dos Direitos Humanos, salientando serem frequentes confrontos entre indivíduos de comunidades rurais "sobretudo no período da campanha de caju".

Para a ONG de defesa dos direitos humanos, os conflitos são alimentados também pelo sentimento de impunidade que "reina no país".
Contactada no local, uma fonte da administração do Estado para o setor de Quinhamel disse à Lusa que "a situação está mais calma", com o reforço da presença policial nas duas comunidades.
A mesma fonte precisou que o caso está sob investigação para ser conduzido à justiça.
Rispito.com/Mundo ao Minuto, 15/05/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público