segunda-feira, 15 de junho de 2020

PR guineense disponível para ajudar na resolução da crise política na Líbia

PR guineense disponível para ajudar na resolução da crise política na Líbia

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, disponibilizou-se hoje para ajudar na resolução da crise política que afeta a Líbia desde 2011, em declarações antes de partir para uma visita à República do Congo.
Em declarações aos jornalistas no aeroporto de Bissau, Sissoco Embaló disse estar disponível para contribuir "com o pouco do conhecimento" que tem da realidade líbia, ajudando o seu homólogo congolês, Denis Sassou Nguesso.

O líder congolês faz parte de um painel de chefes de Estado indigitados pela União Africana para ajudar a encontrar uma saída para a crise líbia, país devastado por uma série de conflitos armados, desde 2011, na sequência do derrube do então Presidente, Muammar Kadhafi.

O chefe de Estado guineense afirmou que o painel foi constituído antes da sua chegada à presidência e agora Denis Sassou Nguesso, de quem é amigo pessoal, entende que poderá contribuir "com o pouco conhecimento" da realidade líbia.

"Posso ajudar na resolução da crise entre os meus irmãos líbios", disse Embaló, anunciando que antes fará uma escala no Senegal, também para conversar com o seu "irmão Macky Sal" sobre a situação na Líbia.

O Presidente guineense disse ainda que vai aproveitar para agradecer ao homólogo senegalês os apoios que tem dado à Guiné-Bissau, nomeadamente na expansão do sinal da única televisão do país e ainda em sementes agrícolas.

Nesse particular, Sissoco Embaló afirmou que a Guiné-Bissau recebeu recentemente do Senegal diversas espécies de sementes agrícolas, no valor de dois milhões de dólares (1,77 milhões de euros), um sinal da "boa cooperação e boa vizinhança" entre a Guiné-Bissau e o Senegal.

A vista do Presidente guineense à República do Congo deverá durar 24 horas.
Rispito.com/Lusa, 15-06-2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público