quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Presidente da Guiné-Bissau anuncia retoma do serviço militar obrigatório

Presidente da Guiné-Bissau anuncia retoma do serviço militar obrigatório
O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, anunciou hoje que o país vai retomar brevemente o serviço militar obrigatório (SMO) para acabar com o "recrutamento sem critério" de pessoas para as Forças Armadas.

Presidente da Guiné-Bissau anuncia retoma do serviço militar obrigatório
O chefe de Estado, que falava à imprensa depois de presidir à reunião do Conselho Superior de Defesa Nacional, disse que o país tem de reintroduzir critérios objetivos para a incorporação de cidadãos nas Forças Armadas.

"Isso é que é o dever de cidadania. Não se pode pegar nas pessoas, um sobrinho ou o filho que não tem trabalho para o colocar nas Forças Armadas. Não. Tem de haver critério nas Forças Armadas para quem quer ser militar tem que ter no mínimo 12.º ano", observou Sissoco Embaló.

O Presidente guineense apontou o seu próprio exemplo para esclarecer a decisão das autoridades em reintroduzir o SMO, que deixou de ser observado a partir dos anos 90 do século passado.

"Vai ser como no nosso tempo, quando fomos recrutados. Foi nas Forças Armadas que conseguimos uma bolsa de estudo e fomos estudar", em Portugal, disse Umaro Sissoco Embaló.

O chefe de Estado disse também que a reunião serviu para abordar a retirada para breve da força de interposição dos Estados da África Ocidental (Ecomib), estacionada na Guiné-Bissau desde 2012, na sequência de um golpe militar.

A Ecomib, que foi acantonada em março pelo Presidente guineense, acabou por não deixar o país devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus, que levou ao encerramento de fronteiras e à suspensão de voos para a Guiné-Bissau.
Rispito.com/Lusa, 20/08/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público