quinta-feira, 20 de agosto de 2020

USE condena golpe de Estado e tomada do poder pela força

Sissoco Embaló anuncia reunião com o líder do Parlamento para ...
O Presidente da República da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, condenou hoje o golpe de Estado no Mali, salientando que não se pode aceitar a tomada do poder pela força.


"Condenamos energicamente. Não podemos aceitar a tomada de poder pela força. É lamentável o que se passa no Mali", afirmou o chefe de Estado guineense.

Umaro Sissoco Embaló falava no final da reunião ordinária do Conselho Superior de Defesa Nacional, que decorreu no Palácio do Governo, em Bissau.

Sobre a reunião, o Presidente guineense salientou que aquela reunião ocorre duas vezes por mês, porque é um órgão que analisa a "vida inteira do país".

"Falámos da nomeação do novo diretor do SIS e também analisámos a situação no Mali", disse.

Umaro Sissoco Embaló exonerou a semana passada António Cabral Avelino das funções de diretor-geral do Serviço de Informação de Segurança e nomeou o brigadeiro-general Arsénio Lassana Balde, que esteve a trabalhar com a missão das Nações Unidas, em Bissau.

O Presidente do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, anunciou a demissão hoje de madrugada, horas depois de ter sido afastado do poder num golpe liderado por militares, após meses de protestos e agitação social.

A ação dos militares já foi condenada pela Organização das Nações Unidas (ONU), União Africana, Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental e União Europeia (UE).

Portugal tem no Mali 74 militares integrados em missões da ONU e da UE.

Antigo primeiro-ministro (1994-2000), Ibrahim Boubacar Keita, 75 anos, foi eleito chefe de Estado em 2013, e renovou o mandato de cinco anos em 2018.
Rispito.com/Lusa, 20/08/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público