quarta-feira, 4 de novembro de 2020

Advogados de antigo PM acusam PGR de "perseguição política"

O colectivo de advogados que representa o antigo primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Aristides Gomes, acusou, esta quarta-feira, o Procurador-Geral da República, Fernando Gomes, de "inventar processos", de "falta de honestidade intelectual" e "perseguição política".

"Assistimos a uma declaração política de um PGR ferido por ter sido flagrado a inventar processos, aliás num comunicado produzido pela PGR em 16 de Outubro, lê-se no penúltimo parágrafo que em relação a Aristides Gomes há dois processos e na conferência de imprensa o PGR já vem falar de três e não dois processos", afirmou Luís Vaz Martins, um dos advogados do antigo primeiro-ministro.
Na sexta-feira, o procurador-geral da República deu uma conferência de imprensa para revelar a existência de vários processos-crime contra Aristides Gomes, nomeadamente desvio de fundos públicos. 

Fernando Gomes disse que Aristides Gomes era acusado de vários crimes, sem especificar e disse que não há nenhum mandado de detenção contra o antigo primeiro-ministro e que apenas lhe foi imposta a medida de coação relativa à obrigação de permanência em território nacional.

Aristides Gomes está refugiado na sede do Gabinete Integrado da ONU para a Consolidação da Paz na Guiné-Bissau (UNIOGBIS) há vários meses, depois de ter sido demitido de funções pelo actual Presidente guineense, Umaro Sissoco Embaló.

Os advogados de Aristides Gomes apresentaram na semana passada uma queixa-crime contra o magistrado que está a dirigir a investigação, acusando-o de "falsificação, prevaricação, usurpação de função pública, sequestro e mais crimes".
Rispito.com/RFI, 04/11/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público