sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Guineenses criticam interferência de governantes e políticos na Justiça

A população guineense está insatisfeita com a Justiça na Guiné-Bissau e aponta o dedo aos políticos e governantes como os "maiores responsáveis pela impunidade e interferência" naquele setor, refere uma sondagem hoje divulgada pela Voz di Paz.
Intitulada "Barómetro participativo sobre a perceção e experiência da população: Como melhorar a governação da Justiça na Guiné-Bissau", a sondagem foi elaborada pela organização não-governamental Voz di Paz, com o apoio a Interpeace e da União Europeia, e ouviu cerca de 4.000 pessoas em todas as regiões do país.

"Os resultados da sondagem mostram uma imensa insatisfação com a governação da justiça no país, partilhada por toda a população transversalmente às diferentes variáveis sociodemográficas", refere-se no relatório feito com base nas conclusões da sondagem.

Intitulada "Barómetro participativo sobre a perceção e experiência da população: Como melhorar a governação da Justiça na Guiné-Bissau", a sondagem foi elaborada pela organização não-governamental Voz di Paz, com o apoio a Interpeace e da União Europeia, e ouviu cerca de 4.000 pessoas em todas as regiões do país.

"Os resultados da sondagem mostram uma imensa insatisfação com a governação da justiça no país, partilhada por toda a população transversalmente às diferentes variáveis sociodemográficas", refere-se no relatório feito com base nas conclusões da sondagem.

A organização não-governamental recomenda também, entre outros, o reforço do conhecimento das leis que protegem os cidadãos, a melhoria das condições de trabalho das instâncias judiciais e do acesso aos estabelecimentos de justiça, a efetivação de medidas de proteção a denunciantes e testemunhas de crimes e o reforço da colaboração entre a justiça formal e tradicional.
Rispito.com/Lusa, 04/12/2020

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público