terça-feira, 19 de janeiro de 2021

Guiné-Bissau atribui a Medalha Amilcar Cabral a Jorge Carlos Fonseca

O Presidente de Cabo Verde foi agraciado, esta segunda-feira, 18, com a Medalha Amílcar Cabral, a
mais alta distinção do país, através de um decreto presidencial de Umaro Sissoco Embalo.

Reagindo, Jorge Carlos Fonseca disse estar “orgulhoso e honrado”.

Jorge Carlos Fonseca encontra-se em Bissau para uma visita oficial de quatro dias, com a cooperação no centro das atenções.
Sobre a cooperação entre os dois países, Jorge Carlos Fonseca evidenciou que houve “momentos menos bons que as relações dos dois Estados conheceram”, mas reconheceu a “unidade Guiné-Cabo Verde”.

No âmbito da revitalizaçāo da cooperação, os dois países vão instalar as respectivas embaixadas nas cidades capitais.

Jorge Carlos Fonseca que falava esta segunda-feira  à sua chegada ao aeroporto internacional Osvaldo Vieira por uma visita de três dias à convite do seu homólogo guineense Umaro Sissoco Embaló.
Na sua breve declaração à imprensa, Fonseca disse que aceitou visitar Guiné-Bissau para mostrar e deixar testemunho de que pretendem abrir uma nova página na relação entre Guiné-Bissau e Cabo Verde, que não é uma relação de anos 70, mas sim uma relação próxima com bases diferentes, laços de dois países que se respeitam, dois países irmãos e amigos que podem cooperar com benefícios mútuas ou dois países que se constituem em democracia  um Estado de Direito.

"Cabo Verde e Guiné-Bissau têm que estar unidos, juntos e próximos, independentemente das conjunturas politicas ou de quem é o presidente, primeiro ministro ou partido que está no poder ou de maioria parlamentar. É o que  interessa para que o Cabo Verde e Guiné-Bissau estejam juntos, porque o que nos uni é a história, a luta, consanguinidade e fraternidade”, enalteceu Carlos Fonseca.

 Acrescentou que é preciso  criar uma base forte, sólida para que Cabo Verde e Guiné-Bissau andem juntos e trabalham para os princípios que são comuns na União Africana, CEDEAO, na CPLP, mais sobretudo também na criação de uma aproximação humana mais forte e intensa entre guineenses e cabo-verdianos.

O presidente cabo-verdiano disse ainda que as pessoas podem divergir em termos da democracia, ter opiniões diferentes, princípios diferentes, adoração política diferente mas que a relação entre os povos é fundamental e não muda.

Carlos Fonseca sugere a criação de uma comunidade forte e sólida pelos dois países e disse esperar que esta visita constitua novo ponto de partida nas relações entre a Guiné e Cabo Verde pelo que conta com o presidente Sissoco, governo e todos os partidos políticos, comunicação social, entre outros ramos da vida social, para preservar aquilo que é fundamental, a história e cumplicidade entre Guiné-Bissau e Cabo-Verde.
Rispito.com/Lusa/ANG, 19/01/2021

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público