terça-feira, 16 de março de 2021

Nuno Nabian diz que país está "num novo caminho"

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau, Nuno Gomes Nabiam, disse que o país está num "novo caminho", afirmando que o Governo está a trabalhar para "consolidar a paz e a democracia", criando condições de estabilidade para atrair investimento estrangeiro.

"A Guiné-Bissau é conhecida no mundo por algumas perturbações cíclicas políticas, mas quero aqui garantir que este Governo tudo fará para criar condições necessárias para que o investimento estrangeiro seja garantido e assegurado no nosso país", disse o primeiro-ministro guineense, que está de visita ao concelho de Águeda, no distrito de Aveiro.

Questionado pelos jornalistas sobre as notícias que dão conta do regresso da instabilidade política ao país, Nuno Nabiam garantiu que a situação "está tranquila" e "as coisas estão a funcionar normalmente", afirmando que as divergências existentes "devem ser resolvidas na base do diálogo".
"As pessoas que estão na oposição tentam expor aquilo que por vezes não é a realidade. Quero aqui garantir aos jornalistas que a Guiné-Bissau está num novo caminho. Estamos a trabalhar para consolidar a paz e a democracia e é normal, em qualquer Estado do mundo, que haja situações que têm que ser resolvidas à base do diálogo e a Guiné-Bissau não foge a essa regra", disse o chefe do Governo.

Quanto ao regresso ao país do líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, o primeiro-ministro guineense considerou que se trata de uma situação normal.
"É um cidadão nacional. É um amigo meu, estudámos juntos e trabalhámos juntos. Ficou algum tempo em Portugal por razões próprias. Entendeu que deve voltar para a sua terra e é bem recebido. Não há e não deve haver problema quanto a isto. É um cidadão e é um político guineense, é o líder de um partido político. Portanto, vai fazer a sua vida tranquilo", disse.

O primeiro-ministro da Guiné-Bissau está de visita hoje ao concelho de Águeda, cidade geminada com Bissau, a capital daquele país, a convite do presidente da autarquia local.

Durante a sessão de boas-vindas, o presidente da Câmara, Jorge Almeida, disse que a Guiné-Bissau pode ser a "porta de entrada" para o continente africano e para a África subsaariana, mas realçou que será necessário que o Governo guineense "dê condições e garantias quanto à segurança e continuidade dos investimentos que se possam iniciar".
"O investimento deve poder ser um caminho traçado a longo prazo, no qual se assumem compromissos, não podendo ficar sujeitos a condicionantes políticas que os possam fragilizar. Está nas vossas mãos senhor primeiro-ministro demonstrar que essas garantias estão asseguradas para poderem cativar os investimentos necessários", disse o autarca.

Durante a manhã o primeiro-ministro guineense assistiu a uma apresentação do tecido empresarial de Águeda e Aveiro e, da parte da tarde, visita empresas de Águeda e o parque empresarial do Casarão, além de vários equipamentos municipais e os bombeiros.

A visita terminará no parque da Boiça, em Valongo do Vouga, onde será efetuada a apresentação dos projetos de cariz ambiental do Município de Águeda.
Rispito.com/RTP Noticias 15/03/2021

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público