quarta-feira, 15 de outubro de 2014

"Se a ébola invadir a Guiné Bissau Portugal torna-se mais vulnerável"

O Director Geral da Saúde reiterou no parlamento que o risco da chegada do vírus ébola a Portugal é baixo, contestando um parecer do Colégio de Saúde Pública da Ordem dos Médicos que fala de um risco relativamente elevado. Francisco George garantiu que o cenário de risco alto neste parecer "não existe hoje", uma vez que não existem casos de ébola nos PALOP.
O cenário mais imediato que levaria a uma subida do risco, disse George, seria se a epidemia entrasse na Guiné Bissau, que faz fronteira com os países afectados. "Estamos para a Guiné Bissau como os EUA estão para a Libéria, Reino Unido para a Serra Leoa e França para a Guiné Conacri", disse George. O Director Geral da Saúde adiantou que o parecer não foi discutido no colégio, ao qual pertence, e que não reúne consenso.
George defende que Portugal está preparado e que três hospitais de referência são o suficiente para as projecções feitas em Abril, de que Portugal poderia ter dois ou três casos até ao final de Outubro.
Esta questão de saúde é uma das razões do adiamento de voos de TAP que estava previsto para o próximo dia 28 Outubro, com a realização de três voos por semana, com partida de Lisboa às terças, quintas e sábados.

Jornal-i, 15 de Outubro de 2014

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público