quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Crise bastante aguda e a mediação muito difícil  

Vira volta no percurso da agenda dos encontros do General Obasanjo.
Terminou esta noite no Palácio da Republica o encontro do diálogo promovido pelo PR, sem a presença da delegação do PAIGC e da ANP.
Murad Murage Secretario executivo da CPLP, Sublinhou que os guineenses têm que ter desta vez a capacidade de poder resolver o problema que se vive neste momento na Guiné-Bissau, sem intervenção ou  a necessidade da Comunidade Internacional estar vir sempre resolver o problema que so requer o entendimento dos guineenses.

O general Obasanjo líder medianeiro da crise, afirmou que a solução da crise deve ser encontrada entre os líderes políticos nacionais. “O povo da Guiné-Bissau não permita que a Comunidade Internacional se canse.” Conclui Obasanjo 

Miguel Trovoada representante do Secretário-geral das Nações Unidas na Guiné-Bissau em nome da Comunidade Internacional e na qualidade de observador defende que o país tem que ser estável para poder beneficiar dos apoios possiveis para se desenvolver. 

Recordamos que, no final do encontro tido com a direção do PAIGC antes do encontro no Palácio da Republica, o Estadista nigeriano disse que está no terreno para saber o que realmente se passa. Reconhecendo que é preciso respeitar as decisões das instâncias judiciárias do país, com tudo afirma que poderia contribuir para uma solução política, que respeite as leis, viabilizando o país. 

De acordo com Obasanjo, o presidente do PAIGC entende que, na fase em que se encontra a crise, só os tribunais podem saneá-la.

De referir que a reunião não teve conclusão viável para a crise politica. Tudo indica que as partes poderão retomar  outra vez na quinta-feira as negociações, mas a verdade é que o grupo dos mediadores mostram um sinal de cansaço perante as crises cíclicas, e persistentes, assim como desiludidos com a atuação da classe politica.

Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 10-02-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público