segunda-feira, 7 de março de 2016

Conselho de Segurança da ONU na Guiné-Bissau para falar "com quem manda no país" 

Uma Missão do Conselho de Segurança das Nações Unidas está no país para uma visita de 48 horas com as autoridades guineense.
A delegação da ONU reuniu-se esta segunda-feira com os membros do governo do Carlos Correia. Depois terá encontro com o PAIGC, ANP e por último com o Presidente da República José Mário Vaz.

No Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira de Bissau, o diplomata Angolano Ismael Martins, Chefe da Missão da ONU para Bissau, disse que vieram à Guiné-Bissau para falar com quem realmente manda neste país, para procurar soluções viáveis a crise política vigente. Por isso Martins, manifesta-se otimista que irão encontrar consenso plausível para viabilizar a Guiné-Bissau ao desenvolvimento almejado.

O PR regressou hoje para Bissau após ter participado na festividade da proclamação da independência de Ghana. 

A Chapa de Bissau centro da principal avenida da capital, foi sacudida de ondas de protestos do grupo de ativistas denominado Movimento de Cidadãos Conscientes e Inconformados, com as palavras de ordem: “Povo Unido Já Mais Será Vencido. Que Respeitem os Nossos Direitos”. Uma manifestação dispersada e violentada pelos polícias.

 A palavra de ordem é: “Porque o Presidente da Republica José Mário Vaz não participou na comemoração da festa da proclamação da independência da Guiné-Bissau e foi participar na festa doutro país, Ghana!?

Ainda esta tarde, a delegação da ONU reúne-se com a direção da Assembleia Nacional Popular (ANP, Parlamento) e de seguida recebe, em audiências separadas, os líderes dos dois principais partidos no hemiciclo, Partido Africano para a Independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde (PAIGC) e Partido da Renovação Social (PRS), que se farão acompanhar pelos respetivos chefes das bancadas parlamentares.

Os encontros foram no Palácio Colinas do Boé, sede do Parlamento, de onde a delegação seguiu para uma unidade hoteleira para encontros, em separado, com organizações da sociedade civil e missões diplomáticas sedeadas em Bissau.

Antes de rumar à Dacar, capital senegalesa, de onde vai viajar para Nova Iorque, a comitiva teve uma audiência com o chefe do Estado guineense, José Mário Vaz.
Depois de tudo, o chefe da delegação afirmou e repetiu varias vezes de que os politicos da Guiné-Bissau ganharam muita maturidade, pelo que só deixa um apelo para que se deixem as instituições funcionar, porque so se pode investir e ajudar um país onde haja estabilidade
Rispito.com/Lai Baldé-correspondente, 07-03-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público