quinta-feira, 10 de março de 2016

Tribunal anula deliberações tomadas na Assembleia-geral da CCIAS

O Tribunal Regional de Bissau anula todas as deliberações tomadas na Assembleia-geral da Câmara de Comercio, Industria, Agricultura e Serviços (CCIAS), realizada no dia 04 de Abril de 2015, pela essa organização do sector privado que reelegeu Braima Camara, como presidente. 
O Tribunal condena a CCIAS no pagamento de custos finais por ter havido irregularidade na convocação da assembleia-geral em consequência da condição imposta aos sócios para sua participação, que era o pagamento das quotas indevidamente definida, por isso, decide que todas as deliberações adotadas nessa assembleia são anuláveis.
De acordo com o documento de 09 páginas do Tribunal Regional Bissau com a data de 26 de fevereiro de 2016, assinado pela juíza do direito Epifania Fonseca, as custas finais são da responsabilidade da parte vencida e, na justa medida do vencimento, nos termos do artigo 446º do CPC, dando por efeito, razão à queixa apresentada por Idrissa Djalo.
Perante as consequências da realização dessa assembleia-geral, na tomada de posse do corpo diretivo, o empresário Mamadú Saliu Lamba foi espancada gravemente e evacuado de mediato na altura à Dakar, para um tratamento medico especializado.

Por agora, Braima Camara está em abraço com mais um problema dificil, por estar em causa a sua liderança da Câmara de Comercio, Industria, Agricultura e Serviços, num momento de desequilíbrio politico para reintegrar as fileiras do PAIGC e de reassumir o lugar de deputado da nação. 
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 10-03-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público