terça-feira, 29 de março de 2016

Tribunal Militar de Bissau proferiu mais uma  sentença condenatória   

O Tribunal Militar Regional de Bissau condenou esta terça-feira, o 1º sargento Vasco Sanhá, de 37 anos, colocado na Direção da Comunicação do Estado Maior-general das FARP, residente no Bairro de Lala-Quema em Bissau, com a pena de 10 meses de prisão efetiva e uma indemnização ao Estado no valor de 250 mil francos cfa nos termos do artigo 566 do Código civil.

O militar é acusado de crime de falsificação, previsto e punível nos termos do artigo 199 nº 01 a) CP. 
Em Janeiro de 2015, Vasco Sanhá alegou que a sua esposa estava internada no hospital a fim de ser submetida a uma cesariana, pediu ajuda financeira ao Constantino Sanhá, este por seu turno, oferceue-lhe uma senha de 20 litros de combustível. Daí, a partir da referida senha o suspeito falsificou outras senhas e passou utiliza-las a fim de levantar combustível na Base Aérea, e por duas vezes por intermédio de Lúcio e Tagme, vendedores ambulantes do combustível no bairro de QG em Bissau e, continuou a prática com senhas falsas sem ter sido detetada a falsidade das mesmas. 

Ficou provado ainda que o suspeito confessou os factos quando confrontado por Constantino, agiu com dolo de forma livre, deliberada, consciente, bem sabendo que a sua conduta é proibida e punida pela lei.

De acordo com o acórdão nº 02/2016 dos Juízes Auditores do TMR de Bissau, o suspeito não contestou e nem arrolou testemunha.
Rispito.com/Lai Balde-correspondente, 29-03-2016

Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público