sexta-feira, 27 de maio de 2016


COMUNICADO DE IMPRENSA
A Guiné-Bissau está a viver mais uma vez uma situação de grave tensão politica resultante da nomeação de novo 1º Ministro Dr. Baciro Dja por decreto presidencial nº 2/2016.

O decreto que nomeou o novo 1° Ministro foi antecedido por vários processos protagonizados pelos principais actores políticos com o objectivo de encontrar uma solução para a governabilidade do país;

Considerando que, a Guiné-Bissau, enquanto Estado de Direito Democrático, proclamou a semelhança dos outros Estados modernos, a sua adesão aos princípios e valores universais inerentes ao Estado de Direito Democrático;

Tendo em conta de que um dos corolários de Estado de Direito Democrático é o primado da lei, a liberdade e direitos fundamentais dos cidadãos;

Considerando que o direito a manifestação è uma consagração constitucional e da lei entretanto, esse direito deve ser exercido nos termos previstos sem por em causa a paz social e a segurança dos cidadãos;

Tomando em consideração os acontecimentos verificados no dia 26 de corrente, horas depois de anúncio de decreto da nomeação do novo 1º Ministro, que resultou em espancamento de alguns cidadãos;     

Assim, O Movimento Nacional da Sociedade Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento delibera:

1. Apelar todas as forças vivas, nomeadamente os partidos políticos a contribuir para o clima de paz, tranquilidade social, privilegiando sempre dialogo para resolução de quaisquer diferendos politico;

2. Condenar acto de espancamento verificado na manifestação espontânea realizada ontem junto a Presidência da Republica;

3. Exortar ao PAIGC e em especial, a sua direção para recorrerem as instâncias apropriadas vigentes no pais a fim de fazerem valer as suas eventuais revindicações;

4. Elogiar as nossas forças de defesa e segurança pela equidistância demostrada na presente crise, apelando a continuar observar esse posicionamento afastando quaisquer tentativas de instrumentalização;

5. Apelar a população em geral a maior contenção e serenidade evitando situações que possam por em causa a integridade física dos cidadãos.

6. Apelar a comunidade internacional no sentido de continuar acompanhar e apoiar as nossas autoridades com vista a estabilidade e paz, condições essenciais para a implementação de projectos para o desenvolvimento

Bissau, 27 de Junho de 2016.
A Direcção 







Sem comentários:

Publicar um comentário

ATENÇÃO!
Considerando o respeito pala diversidade, e a liberdade individual de opinião, agradeço que os comentários sejam seguidores da ética deontológica de respeito. Em que todas as pronuncias expressas por escrita não sejam viciadas de insultos, de difamações,de injúrias ou de calunias.
Paute num comentário moderado e educado, sob pena de nao sair em público